Mercado abrirá em 7 h 59 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,00
    +0,62 (+0,98%)
     
  • OURO

    1.771,80
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    55.282,27
    -1.789,72 (-3,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.248,70
    -50,26 (-3,87%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.105,73
    -0,42 (-0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.079,62
    -605,75 (-2,04%)
     
  • NASDAQ

    13.917,00
    +19,75 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6895
    +0,0138 (+0,21%)
     

Mercados que seguem em crescimento no varejo em 2021

Bernardo Carneiro
·3 minuto de leitura

Durante esse período de pandemia, foi possível observar os impactos e mudança nas relações de compra entre consumidores e lojistas. Já podemos observar nesses dois primeiros meses tendências que obtiveram um crescimento exponencial e que podem ser uma aposta para quem ainda não aderiu a alguma ou a todas elas.

A expansão do WhatsApp como meio de relacionamento e comercialização, o fortalecimento dos marketplaces de nicho, a digitalização de pequenos empreendimentos, entre outros, estão entre os "novos" mercados que seguem em crescimento durante esse ano.

O uso do WhatsApp como canal de vendas e relacionamento vem sendo um grande diferencial, principalmente em pequenos comércios que querem aproximar-se de seus clientes de uma forma mais informal e íntima. É aquele contato do vendedor com o cliente, entendendo o que ele precisa, mostrando o produto e ajudando a decidir no momento de compra. Talvez um dos pontos mais importantes seja essa proximidade com o vendedor, e a experiência do cliente seja como se tivesse na loja fisicamente.

Ainda pensando em redes sociais, o uso das lives como local de comercialização de produtos vem tornando-se cada vez mais comum. Pessoas que se dedicam ao mundo da internet têm observado uma oportunidade no mercado. O varejo também seguiu essa tendência, esse é o fenômeno que está sendo conhecido como live commerce. Um exemplo é um chef de cozinha que realiza uma live e, ao mesmo tempo, disponibiliza um link para a compra de todos os ingredientes que serão utilizados durante a transmissão, além da receita na íntegra. O espectador pode realizar a compra e recebê-la no conforto de sua casa para, tranquilamente, realizar a receita desejada.

Além disso, a loja física tem mostrado a sua força também, aliada ao mundo virtual — o omnichannel é uma tendência forte. Segundo o Google, 85% dos consumidores começam a compra em um canal e terminam em outro. Portanto, ter uma loja online ou vender pelo WhatsApp pode aumentar o alcance dos seus produtos bem como a sua conversão de vendas — inclusive da loja física. O seu cliente pode tirar uma dúvida sobre um produto no WhatsApp, realizar a compra no site e no dia seguinte ir à sua loja retirar o produto, por exemplo.

Mais do que isso, a entrega no mesmo dia é um fator de aumento de 48% na conversão das vendas segundo pesquisa da Amaro/E-commerce Brasil. E já que esse cliente foi retirar o pedido na loja, que tal oferecer um outro produto? Em um estudo da Invesp, 49% dos consumidores que compram online e retiram na loja realizam a compra de um item adicional. O consumidor não é digital ou físico, ele é da sua marca e deseja ter uma experiência única com você.

Outro benefício de estar vendendo online é a pluralidade de canais disponíveis. Assim como em algumas cidades tem uma rua famosa por vender determinada categoria de produtos, na internet existem sites de produtos nichados. Uma onda de marketplaces de nicho vem tornando-se cada vez mais comum entre os vendedores que preferem este canal ao invés de grandes sites que vendem de tudo. Um exemplo disso é um fabricante de cadeiras artesanais que prefere buscar locais onde especificamente móveis são vendidos, dado o perfil do consumidor desse canal. E mais do que isso, é possível conciliar diversas estratégias com marketplaces nichados, gerais e loja própria – para facilitar, existem soluções que sobem todos seus produtos em diversos canais. Isso dá uma maior visibilidade ao seu produto e potencialmente mais vendas.

O fato é que a internet segue seu crescimento acelerado e o varejo vem se reinventando para que os consumidores tenham uma maior facilidade em adquirir seus produtos e, assim, vender mais. Para os próximos anos, é esperado um crescimento significativo na receita desses novos canais influenciados a partir dos novos hábitos de consumo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: