Mercado fechará em 37 mins

Mercados europeus despencam a mínimas desde 2012

Por Sagarika Jaisinghani

Por Sagarika Jaisinghani

(Reuters) - As ações europeias despencavam a mínimas desde 2012 nesta segunda-feira, à medida que a pandemia de coronavírus se espalhava por grande parte da Europa, com uma dramática flexibilização monetária por parte dos bancos centrais globais falhando em tranquilizar os investidores sobre seu crescente dano econômico.

Às 8:22 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 caía 7,47%, a 1.081 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdia 7,92%, a 275 pontos, com França e Espanha liderando as perdas após se juntarem à Itália com a imposição de quarentena nacional.

Companhias aéreas e empresas turísticas, como TUI, EasyJet, IAG e Air France, estavam entre os maiores perdedores do STOXX 600, à medida que a pandemia interrompia as viagens globais.

O índice mais amplo de viagens e lazer caía mais de 12,6%, enquanto a medida de medo da Europa saltava para uma máxima recorde de 91,78.

"Todo mundo está olhando para as medidas tomadas em termos de limitação da atividade (social), que atualmente superam qualquer estímulo", disse Bas van Geffen, analista do BCE no Rabobank.

. Em LONDRES, o índice Financial Times recuava 6,19%, a 5.034 pontos.

. Em FRANKFURT, o índice DAX caía 7,29%, a 85.559 pontos.

. Em PARIS, o índice CAC-40 perdia 8,46%, a 3.769 pontos.

. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha desvalorização de 8,54%, a 14.591 pontos.

. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava baixa de 9,43%, a 6.004 pontos.

. Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizava-se 5,95%, a 3.608 pontos.