Mercados na Europa sobem com notícias da Alemanha

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta terça-feira, impulsionadas por uma dado positivo sobre o sentimento econômico na Alemanha, um bem-sucedido leilão de bônus da Espanha e novidades do programa de recompra de bônus da Grécia. O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 0,34%, fechando a 280,49 pontos, o maior nível em 18 meses.

O dia começou com a notícia de que o índice ZEW de expectativas econômicas na Alemanha disparou para 6,9 em dezembro, de -15,7 em novembro, bem melhor do que a previsão de alta para -11,3. O índice de condições atuais também avançou, passando de 5,4 para 5,7. Em seguida, foi a vez de a Espanha anunciar que vendeu um total de 3,89 bilhões de euros (US$ 5,02 bilhões) em títulos de 12 e 18 meses com yield (retorno ao investidor) menor do que em leilões anteriores. Além disso, o montante vendido ficou acima do teto da faixa pretendida, que ia de 2,5 bilhões de euros a 3,5 bilhões de euros.

Os ganhos foram ampliados no início da tarde, depois que o governo dos EUA informou que estoques no atacado aumentaram 0,6% em outubro, em bases mensais, para US$ 497,13 bilhões ajustados sazonalmente, acima da alta de 0,4% esperada pelos economistas. Mais cedo, o indicador norte-americano divulgado não havia sido tão positivo: o déficit comercial do país cresceu para US$ 42,24 bilhões em outubro, acima das estimativas de US$ 42,1 bilhões. O déficit maior ocorreu por causa da China, já que o déficit comercial dos EUA com o maior país asiático subiu 1,4% em outubro.

Outra fonte de otimismo foram os relatos, de fontes, sobre o programa de recompra de bônus da Grécia. Detentores de bônus gregos com valor de face de cerca de 31,5 bilhões de euros (US$ 40,7 bilhões) aderiram ao programa, levando Atenas a superar sua meta de 30 bilhões de euros, afirmaram uma autoridade do governo e um oficial do setor bancário. A recompra, cujo prazo expirou às 10h de hoje, foi estendida em um dia após as ofertas feitas na semana passada ficarem ligeiramente abaixo da meta.

Nesse cenário, o índice ASE da Bolsa de Atenas fechou em alta de 2,28%, aos 872,03 pontos. Os destaques de alta foram os bancos, como National Bank of Greece (+2,19%), Eurobank Ergasias (+2,79%), Piraeus Bank (+3,69%) e Alpha Bank (+5,03%).

Em Frankfurt, o índice DAX teve ganho de 0,78%, a 7.589,75 pontos. A siderúrgica ThyssenKrupp subiu 5,86%, após iniciar a sessão em queda. Ontem a companhia divulgou seu balanço do ano fiscal 2012 e traders esperam que a onda de notícias ruins tenha finalmente acabado. RWE e E.ON avançaram 1,14% e 2,20%, respectivamente, após as fortes perdas recentes.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, avançou 0,94% e fechou a 3.646,15 pontos. Foi a sétima sessão consecutiva de ganhos, o que levou o índice para o maior nível do ano. A Veolia Environnement registrou valorização de 5,65%, também se recuperando de quedas recentes. Já o Credit Agricole perdeu 1,19%, após ter sua recomendação rebaixada por uma consultoria.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE teve alta de 0,06%, fechando a 5.924,97 pontos. Apesar da leve alta, o índice terminou a sessão perto da máxima em nove meses. No campo positivo os destaques foram BHP Billiton (+1,61%), Evraz (+2,48%) e Rio Tinto (+0,96%).

O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, subiu 2,05%, fechando a 5.511,83 pontos. Em Milão, o índice FTSE-Mib ganhou 1,51% e fechou a 15.585,61 pontos. E em Madri o índice IBEX-35 teve alta de 1,49%, a 7.920,90 pontos. As informações são da Dow Jones.

Carregando...