Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -0,32 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    36.596,79
    +1.596,13 (+4,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,12 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -43,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Mercados de crédito começam 2021 com força e emissão do México

Ameya Karve
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Os mercados de crédito globais começaram o ano com uma série de ofertas de títulos, o que destaca o objetivo de emissores de continuar captando dinheiro barato mesmo depois do forte endividamento no ano passado.

O México lançou uma oferta de títulos de 50 anos em dólares que serão listados em Luxemburgo e Taiwan, após uma série de emissões de títulos soberanos em moeda americana no ano passado de vários países, incluindo Coreia do Sul e Omã.

Outro tema de destaque no início de 2021 é o cenário positivo para mais financiamento de projetos ambientais, sociais e de governança, ou ESG na sigla em inglês. Pelo menos três emissores ofereceram títulos verdes na segunda-feira: Sumitomo Mitsui Financial e as incorporadoras chinesas Zhenro Properties e Yuzhou Group.

A onda de ofertas vem depois de um recorde de US$ 3,4 trilhões de todos os tipos de emissões de títulos corporativos globais no ano passado. O estímulo monetário sem precedentes para ajudar as economias afetadas pela crise de Covid-19 deixou um volume de dívida com rendimentos próximos de zero ou negativos e incentivou emissores a venderem títulos enquanto os custos são baixos. Os spreads médios de títulos em dólares da Ásia são negociados perto do menor nível desde março.

“Com quase US$ 18 trilhões em dívida de rendimento negativo globalmente, há desejo por rendimento”, disse Todd Schubert, responsável por pesquisa de renda fixa do Bank of Singapore, referindo-se à oferta do México. Segundo ele, investidores provavelmente serão receptivos a títulos com vencimento mais curto para obter maior rendimento.

Outros emissores que oferecem títulos em dólar na segunda-feira incluem o Export-Import Bank of India.

Se a história recente servir de guia, janeiro pode marcar um ritmo ainda mais forte à frente. Janeiro foi o melhor mês para emissão de títulos corporativos em dólar de grau especulativo da Ásia durante os últimos três anos.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.