Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.235,76
    +1.584,71 (+1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.808,21
    +566,41 (+1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,68
    -0,25 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.803,40
    -10,30 (-0,57%)
     
  • BTC-USD

    24.315,75
    +1.437,66 (+6,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    573,36
    +42,14 (+7,93%)
     
  • S&P500

    4.210,24
    +87,77 (+2,13%)
     
  • DOW JONES

    33.309,51
    +535,11 (+1,63%)
     
  • FTSE

    7.507,11
    +18,96 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    19.844,07
    +233,23 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.443,75
    +51,75 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2479
    +0,0015 (+0,03%)
     

Mercados de commodities sob pressão com avanço de delta na China

·1 min de leitura

(Bloomberg) -- As defesas da China contra o coronavírus estão sendo testadas pela variante delta, que afeta a demanda por commodities enquanto autoridades aumentam as restrições.

A cepa altamente contagiosa da Covid-19 se espalhou por quase metade das 32 províncias da China em duas semanas depois de um surto inicial na cidade oriental de Nanjing. Residentes de Pequim foram aconselhados a não deixar a capital, houve cancelamento de voos e algumas cidades e distritos estão isolados.

Embora o número de casos ainda seja relativamente baixo, o potencial de expansão da delta na China, como ocorreu na Índia e na Indonésia, preocupa investidores. As taxas de vacinação na maior economia da Ásia são altas para os padrões regionais, mas existe a preocupação de que imunizantes que não utilizam a tecnologia de RNA mensageiro, como os chineses, sejam menos eficientes para frear a transmissão da variante delta.

Mesmo que autoridades consigam controlar o surto, é provável que haja um impacto de curto prazo na atividade econômica. A demanda por energia está particularmente em risco. Um pesquisador de uma petroleira estatal disse que esta onda de casos pode eliminar 5% do consumo de petróleo no curto prazo.

A preocupação se refletiu nos preços das commodities industriais e de transporte da China na terça-feira. Os futuros do petróleo em Xangai fecharam em queda de 3,1%, enquanto o óleo combustível se desvalorizou 2,6%. O cobre perdeu 1,4%, o alumínio caiu 1,1%, e o níquel terminou em baixa de 2,7%.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos