Mercado abrirá em 1 h 10 min
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,58
    +1,09 (+1,55%)
     
  • OURO

    1.774,30
    -3,90 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    41.966,55
    -1.410,09 (-3,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.044,31
    -19,54 (-1,84%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    7.070,59
    +89,61 (+1,28%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.065,75
    +41,75 (+0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1803
    +0,0012 (+0,02%)
     

Mercados chineses perdem US$560 bi em uma semana com repressão regulatória abalando a confiança

·2 minuto de leitura
Notas de iuans

Por Tom Westbrook e Samuel Shen

(Reuters) - As ações de tecnologia da China recuaram para novas mínimas nesta sexta-feira e o índice de referência de Hong Kong atingiu uma mínima de quase 10 meses com uma série implacável de repressões regulatórias chinesas abalando a confiança dos investidores.

Mais de 560 bilhões de dólares em valor de mercado saíram das bolsas de valores de Hong Kong e da China continental em uma semana, à medida que os fundos saem de ações antes favorecidas, sem saber quais setores os reguladores terão como próximo alvo.

O índice Hang Seng caiu 1,8% e sua queda semanal de 5,8% foi a maior desde o auge do pânico nos mercados financeiros da pandemia, em março de 2020.

As ações em Xangai também caíram, à medida que os investidores vendiam dívidas corporativas de risco e a moeda chinesa. O iuan estava a caminho de sua maior perda semanal em dois meses, enquanto investidores optavam por ativos mais seguros em meio às preocupações mundiais com o coronavírus. [CNY/][.SS]

"Não há realmente um gatilho, mas muitos pedaços que contribuem com a narrativa para ficar longe da China", disse Dave Wang, gerente de portfólio da Nuvest Capital em Cingapura.

"Quase diariamente você recebe notícias negativas, então dá a impressão de que não há fim à vista."

O epicentro da venda generalizada foi o setor de tecnologia, popular entre os investidores estrangeiros que agora temem não poder quantificar o risco regulatório e estão vendendo em massa.

O índice Hang Seng Tech de Hong Kong, composto por empresas antes favoritas, caiu 2,5% nesta sexta-feira para uma nova mínima recorde e recuou cerca de 48% desde fevereiro.

Somando-se às preocupações regulatórias, estão os temores de que a recuperação econômica da China está perdendo ímpeto e os riscos de dívida estão aumentando, já que os dados apontam para uma desaceleração da demanda e da produção industrial, sugerindo que as autoridades estão reprimindo em um momento delicado.

A persistência das autoridades de política monetária em conter os preços das propriedades em alta, por exemplo, deixou os mercados tensos e o crédito corporativo caiu ainda mais nesta sexta-feira com a notícia de que a altamente endividada Evergrande foi repreendida pelos reguladores.

(Por Tom Westbrook em Cingapura, Alun John em Hong Kong e Samuel Shen em Xangai)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos