Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.941,68
    +51,80 (+0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.463,55
    +320,55 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    115,07
    +0,98 (+0,86%)
     
  • OURO

    1.850,60
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    28.996,37
    +260,93 (+0,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    625,79
    -3,71 (-0,59%)
     
  • S&P500

    4.158,24
    +100,40 (+2,47%)
     
  • DOW JONES

    33.212,96
    +575,77 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.585,46
    +20,54 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    20.697,36
    +581,16 (+2,89%)
     
  • NIKKEI

    26.781,68
    +176,84 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.717,50
    +438,25 (+3,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0751
    -0,0429 (-0,84%)
     

Franquia de mercadinhos autônomos cresce na pandemia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Mercado autônomo da Onii funciona dentro de contêiner (Foto: Divulgação)
Mercado autônomo da Onii funciona dentro de contêiner (Foto: Divulgação)

Em 2012, pensando na comodidade de comprar um pãozinho, Tom Ricetti criou uma padaria drive-thru. Após sair da empresa, em 2018, ele começou a enxergar possibilidades de negócio nos mercadinhos e lojas de conveniência em postos. Ele se juntou com um amigo de infância e mais alguns sócios para criar a startup Onii, uma rede de mercados autônomos (o cliente faz tudo, não há nenhum funcionário) instalada dentro de condomínios fechados, prédios, entre outros.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A inauguração da primeira loja foi em dezembro em um condomínio fechado em São Carlos, no interior de São Paulo. O espaço é um contêiner de 20 metros quadrados e os moradores/visitantes entram, escolhem os produtos e pagam a compra pelo aplicativo, sem qualquer tipo de fiscalização. Por conta da quarentena, a regra para a entrar no espaço ficou mais rígida, só permitindo um cliente por vez.

Leia também

“O condomínio tem aproximadamente 210 casas e em uma semana tivemos 206 downloads no aplicativo. A aceitação foi imensa. Os moradores começaram a encarar a Onii como um mercado de bairro com preços competitivos, não como a loja de conveniência de posto em que tudo é mais caro. Atualmente, essa loja está faturando R$ 25 mil por mês”, diz.

Com a pandemia do novo coronavírus, a procura por esse modelo de negociou aumentou muito por conta da preocupação de evitar sair de casa e em lugares com grande fluxo de pessoas, como os supermercados. Segundo Ricetti, isso fez com que muitos condomínios e construtoras procurassem a empresa e, agora, eles têm contratos com 16 das mais importantes construtoras do Brasil. “ No início, a previsão era fechar o ano com 70 pontos de venda. Mas fechamos 108 só em Alphaville. Nossa nova previsão é de 300 mercados até o fim do ano”, conta.

Aplicativo desbloqueia entrada na loja

Para ter acesso aos serviços, é necessário baixar o aplicativo da Onii, que mostra todas as lojas disponíveis em um raio de 10 km. “O cliente faz o cadastro, coloca o seu cartão e o geolocalizador permite que o celular desbloqueie a entrada da pessoa na loja”, explica o empresário.

Pelo aplicativo, clientes desbloqueiam a porta e registram os produtos pelo código de barras (Foto: Divulgação)
Pelo aplicativo, clientes desbloqueiam a porta e registram os produtos pelo código de barras (Foto: Divulgação)

Uma vez dentro da loja, o aparelho também serve como scanner para leitura do código de barra dos produtos que precisa adquirir. Ao final da compra, o pagamento é feito diretamente pelo app. “Não tivemos nenhum caso de furto até porque nosso sistema é seguro. Sei exatamente quem entrou no espaço, em qual horário etc. portanto, se o licenciado necessitar, ele consegue ver se há falta de estoque e quem pode ter sido”, diz.

O menu da loja é uma decisão do condomínio. "Cabe a eles saber se querem um mercado com opções mais finas, como um vinho de R$ 500, ou uma cerveja tradicional. O licenciado pode cadastrar novos produtos e também temos estimulado o apoio aos negócios locais ao realizar parceiras com fornecedores de pães, bolos, pães de queijos e produtos orgânicos e artesanais — muitos que até moram nos próprios condomínios”, fala.

Licenciamento das lojas

O investimento para quem quer licenciar uma unidade box gira em torno de R$ 70 mil, mas o custo é possível ser barateado caso o empreendedor prefira alugar o contêiner, equipamentos etc., chegando até R$ 1.500 mensais.

Ricetti explica que, do faturamento da loja, 10% fica com a startup, já incluindo a taxa do cartão de crédito. "Todo o restante vai direto para a conta do licenciado, então é diferente da franquia que recebe e depois paga os royalties. Nós também não determinamos qual o distribuidor para comprar os itens para o espaço. Ele consegue ter liberdade de encontrar uma promoção em um atacadista, por exemplo, e preparar o estoque. Os licenciados cuidam da operação, reposição, limpeza e manutenção do estoque pelo app", diz.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos