Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    47.202,27
    -9.488,89 (-16,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Mercados acionários da Ásia sofrem com lucro menor das empresas

·2 min de leitura

O lucro por ação do terceiro trimestre dos membros do MSCI Asia Pacific Index (índice acionário composto por ações de empresas de 12 países da Ásia) cresceu 36%.

Esse desempenho é considerado fraco, visto que houve uma desaceleração em comparação com os ganhos de três dígitos do primeiro semestre, quando havia a expectativa de forte recuperação da pandemia. 

Enquanto isso, os pares globais, como EUA e Europa, viram os lucros corporativos crescerem mais no último trimestre, 42% e 91%, respectivamente.

Restrições de oferta e política sanitária na China

São vários os fatores que contribuem para a lentidão da recuperação das empresas asiáticas. Aumentos dos custos e dificuldades de fornecimento, como a escassez de semicondutores, estão entre as principais causas. 

Para Jessica Tea, especialista do BNP Paribas, a relativa lentidão da região na remoção das restrições à mobilidade, devido à política da China de Covid-zero é outro motivo que pesa sobre as empresas da região.

“A região asiática controlou a propagação da pandemia Covid-19 de forma mais eficaz do que outras partes do mundo, mas está ocorrendo ao custo de maiores restrições e uma recuperação mais modesta da atividade econômica”, disse a especialista em entrevista ao Bloomberg.

A China tem prejudicado os lucros da região devido à escassez de energia, ao bloqueio de cidades e à crise imobiliária em constante expansão. 

Entre os resultados das 1.000 maiores empresas da Ásia, os destaques negativos ficaram por conta da Top Glove (maior fabricante de luvas de borracha do mundo), Pegatron (fornecedor da Apple Inc.) e a Kakao (empresa sul-coreana de Internet). A Tencent Holdings anunciou seu crescimento de vendas mais lento desde 2004 depois que as regulamentações afetaram seu negócio de publicidade.

Resultados positivos

No geral, as expectativas do mercado são de que as dificuldades continuarão. O Morgan Stanley e o Goldman Sachs esperam mais quedas de ganhos com base nos dados macroeconômicos fracos.

Porém, há algumas exceções. Em relação à Índia e ao Sudeste Asiático são esperadas revisões para cima dos lucros das empresas nos próximos períodos. Isso se deve ao fato de que estas regiões têm feito maiores avanços em direção à reabertura de suas economias neste trimestre. 

O MSCI Asean Index (índice que captura as principais empresas da Indonésia, Malásia, Filipinas, Tailândia e Cingapura) subiu quase 5% desde o final de setembro, superando o indicador regional mais amplo em mais de três pontos percentuais.

Entretanto, segundo a visão de analistas, os casos positivos não devem mudar a tendência ruim dos resultados de lucros para toda a região asiática. 

As estimativas futuras de lucro para o índice regional permanecem abaixo da alta de setembro, em um momento em que as previsões para os EUA e a Europa continuaram subindo.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos