Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.426,00
    -522,45 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.831,95
    -213,15 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.861,20
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    54.469,41
    -3.775,52 (-6,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.402,14
    -65,80 (-4,48%)
     
  • S&P500

    4.704,54
    +15,87 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.870,95
    -60,10 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.255,96
    -35,24 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    25.319,72
    -330,36 (-1,29%)
     
  • NIKKEI

    29.683,09
    +84,43 (+0,29%)
     
  • NASDAQ

    16.494,75
    +13,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3313
    +0,0125 (+0,20%)
     

Mercado vê inflação em 2021 acima de 9% e Selic em mais de 10% em 2022

·1 min de leitura
Prédio do Banco Central, em Brasília

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado financeiro promoveu mais uma rodada de expressiva piora nas estimativas para variáveis financeiras e econômicas brasileiras, vendo agora Selic de dois dígitos em 2022, quando a inflação ficará ainda mais distante da meta.

De acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira, o juro básico irá a 10,25% ao fim de 2022, ante previsão anterior de 9,50%. Ao fim de 2021, a Selic estará em 9,25%, ante 8,75% do cenário mostrado na semana passada.

O dólar ficará mais caro e irá a 5,50 reais ao término de 2021 e de 2022, contra taxa anterior de 5,45 reais para ambos os anos.

E a inflação prevista foi novamente elevada --para 4,55% em 2022 (de 4,40%) e 9,17% neste ano (8,96% antes).

(Por José de Castro)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos