Mercado fechará em 39 mins
  • BOVESPA

    111.294,64
    +2.401,32 (+2,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.118,10
    +1.339,23 (+3,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,63
    -0,71 (-1,57%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +38,00 (+2,13%)
     
  • BTC-USD

    18.896,51
    -503,26 (-2,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    371,20
    -8,66 (-2,28%)
     
  • S&P500

    3.668,84
    +47,21 (+1,30%)
     
  • DOW JONES

    29.898,39
    +259,75 (+0,88%)
     
  • FTSE

    6.384,73
    +118,54 (+1,89%)
     
  • HANG SENG

    26.567,68
    +226,19 (+0,86%)
     
  • NIKKEI

    26.787,54
    +353,92 (+1,34%)
     
  • NASDAQ

    12.482,50
    +205,50 (+1,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3369
    -0,0243 (-0,38%)
     

Mercado passa a ver Selic a 4,25% em 2020

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado passou a ver a taxa básica de juros ainda mais baixa em 2020 e um cenário melhor para a atividade econômica, de acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira.

A Selic deve terminar o próximo ano a 4,25% na visão dos economistas consultados, ante estimativa anterior de 4,50%. Para este ano, permanece a expectativa de que a taxa fique em 4,50%.

O BC reduziu em outubro a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, a 5% ao ano, e indicou com clareza que deverá repetir a dose em sua próxima decisão, em meio a um quadro de fraqueza na economia e baixa inflação.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, de médio prazo, entretanto, ainda vê espaço para mais afrouxamento, calculando a Selic a 4% em 2020 pela terceira semana seguida.

O levantamento semanal com uma centena de economistas mostra ainda melhora na perspectiva para a atividade do Brasil, com a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 chegando a 2,17%, de 2,08% antes.

A conta foi impulsionada por uma alta na expectativa para a produção industrial, com expansão prevista de 2,30%, contra 2,16% anteriormente.

Para este ano permanece a estimativa de crescimento do PIB de 0,92%, com a indústria encolhendo 0,68%, contra recuo de 0,70% visto antes.

O Focus mostrou ainda que a alta do IPCA deve chegar a 3,33% este ano, 0,02 ponto percentual a mais do que na pesquisa anterior, com a expectativa para a alta do IPCA em 2020 permanecendo em 3,60%.

O centro da meta oficial de inflação de 2019 é de 4,25 por cento e, de 2020, de 4 por cento, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

(Por Camila Moreira)