Mercado fechará em 3 h 40 min
  • BOVESPA

    115.128,78
    -539,00 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.362,12
    +210,74 (+0,47%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,22
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.776,00
    -21,90 (-1,22%)
     
  • BTC-USD

    51.083,73
    +2.084,53 (+4,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.022,60
    +27,94 (+2,81%)
     
  • S&P500

    3.900,35
    -25,08 (-0,64%)
     
  • DOW JONES

    31.872,13
    -89,73 (-0,28%)
     
  • FTSE

    6.666,14
    +7,17 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    13.149,00
    -153,00 (-1,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7348
    +0,1643 (+2,50%)
     

Mercado passa a ver inflação acima do centro da meta este ano e Selic a 4,0%

Camila Moreira
·2 minuto de leitura
Vista do prédio do Banco Central em Brasília

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado voltou a elevar o cenário de inflação e taxa básica de juros no Brasil neste ano, passando a ver a alta dos preços acima do centro da meta oficial, de acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira.

O Focus mostrou que os especialistas veem agora a Selic a 4% ao final de 2021, de 3,75% na semana anterior. Para 2022 mantiveram a expectativa de juros a 5,0%.

A meta Selic está atualmente na mínima recorde de 2,00%, taxa que deve ser mantida na reunião de março do BC segundo o levantamento semanal.

Já o cenário para a inflação subiu pela sétima vez seguida e a alta do IPCA agora é calculada a 3,82% ao final deste ano, de 3,62% na pesquisa anterior. O resultado ficaria acima do centro da meta oficial para a inflação em 2021, que é de 3,75%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Para 2022 os especialistas mantiveram a perspectiva de uma inflação de 3,49%, contra meta de 3,50%, também com margem de 1,5 ponto.

Para este ano a pesquisa mostra forte aumento dos preços administrados, de 5,10%, contra alta de 4,60% calculada antes. Mas para o ano que vem a expectativa de alta desses preços foi reduzida a 3,86%, de 3,94%.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), a projeção de crescimento em 2021 caiu a 3,29%, de 3,43% no levantamento anterior, permanecendo em 2,50% para 2022.

Veja abaixo as principais projeções do mercado para a economia brasileira, de acordo com a pesquisa semanal do BC com cerca de 100 instituições financeiras:

Expectativas de mercado 2021 2021 2022 2022

Mediana Há 1 Hoje Há 1 Hoje

semana semana

IPCA (%) 3,62 3,82 3,49 3,49

PIB (%) 3,43 3,29 2,50 2,50

Dólar (fim de período-R$) 5,01 5,05 5,00 5,00

Selic (fim de período-% a.a.) 3,75 4,00 5,00 5,00

Preços administrados (%) 4,60 5,10 3,94 3,86

Produção industrial (%) 5,18 5,18 2,50 2,30

Conta corrente (US$ bi) -16,00 -16,00 -28,80 -28,80

Balança comercial (US$ bi) 57,00 56,00 49,85 50,00

IDP (US$ bi) 60,00 60,00 70,00 70,00

Dívida líquida pública (%/PIB) 63,90 64,00 65,40 65,45