Mercado abrirá em 3 h 2 min

Mercado Livre não cobrará taxa de produtos de primeira necessidade por COVID-19

Wagner Wakka

O Mercado Livre não vai cobrar comissão de lojistas que oferecem itens de primeira necessidade dentro de sua plataforma, em função da COVID-19. Em comunicado, a empresa informou que está tomando medidas para conter o aumento de preços e garantir a segurança se seus funcionários. O preço de produtos de cuidados básicos, como álcool gel e máscaras, dispararam desde que o novo coronavírus foi declarado pela OMS como pandemia mundial.

Segundo a companhia, todos os produtos de primeira necessidade, como os de higiene, serão vendidos pelos lojistas com lucro total, ou seja, sem comissão para a plataforma:

“Decidimos reduzir em 100% as comissões para vendedores que oferecem tais mercadorias. A redução impactará as comissões de quase 690 mil produtos de 39 mil vendedores, de 17 a 31 de março, considerando apenas a operação brasileira”, informou o Mercado Livre em comunicado enviado ao Canaltech.

Com isso, o Mercado Livre espera conseguir segurar o preço dos produtos e disponibilidade, uma vez que o custo do lojista é menor. Especificamente sobre álcool em gel e máscaras, produtos de alta demanda no momento, a companhia disse que está monitorando preços e derrubando ofertas abusivas. “Considerando a alta demanda por álcool gel e máscaras, enviamos um alerta aos nossos vendedores, solicitando cautela com a atualização de preços e informando que cancelaremos as publicações que sofreram aumentos desproporcionais no último mês”, explica comunicado da companhia.

Produtos que prometem cura e prevenção contra a COVID-19 também estão sendo retirados da loja, com probabilidade de multa para quem publicou. A empresa também incentiva que vendedores façam as negociações usando QR Code, oferecendo descontos para esta modalidade. A vantagem é que o lojista que precisa sair de casa para vender seu produto pode fazer a cobrança sem a necessidade de contato com o comprador via dinheiro ou máquina de cartão.

Por fim, o Mercado Livre também anunciou que todos seus funcionários com capacidade de trabalho remoto foram recomendados a trabalhar em casa. “Da mesma forma, concedemos licenças remuneradas a todas as pessoas que compõem a população em risco nesse grupo”, completou a companhia.

Como o cumprimento não é recomendado em momento de surto de COVID-19, a logo agora mostra duas pessoas tocando cotovelos, uma medida considerada mais saudável atualmente. A mudança remente a postura da empresa em combater a doença.

Nova logo do Mercado Livre mostra duas pessoas tocando cotovelos / Foto: Mercado Livre


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: