Mercado abrirá em 4 h 42 min
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,38
    +0,56 (+0,67%)
     
  • OURO

    1.818,70
    +2,20 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    42.868,96
    -362,25 (-0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.031,06
    +5,33 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.180,91
    -202,41 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    28.333,52
    +209,24 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    15.556,00
    -39,75 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3115
    -0,0059 (-0,09%)
     

Mercado Livre e marcas parceiras combatem falsificação na América Latina

·2 min de leitura

Para proteger direitos de propriedade intelectual, o Mercado Livre acaba de lançar a Anti-Counterfeiting Alliance ou Aliança Antifalsificação. Em parceria com marcas como Levi Strauss & Co., Pink, Tommy Hilfiger, Under Armour e Victoria’s Secret, a plataforma quer intensificar o combate a infrações e ampliar a conscientização.

A Aliança Antifalsificação é uma iniciativa 100% colaborativa que pretende:

  • monitorar anúncios com base em algoritmos semânticos e detecção de produtos;

  • fortalecer a colaboração com autoridades e agências reguladoras;

  • agir contra infratores que usam o ecossistema para vender produtos falsificados ou pirateados;

  • orientar vendedores sobre boas práticas e técnicas de publicação, de modo a reduzir a infração a direitos de terceiros;

  • orientar os compradores para identificar e denunciar produtos falsificados ou piratas.

Jacobo Cohen Imach, vice-presidente sênior jurídico e de relações governamentais do Mercado Livre para a América Latina, diz que a Aliança Antifalsificação é um esforço coletivo com maior poder de mobilização. “Temos padrões rígidos para oferecer a melhor experiência para compradores e vendedores. Por isso, acreditamos firmemente que trabalhando em conjunto com as marcas, trocando informações e apoiando uns aos outros, podemos reduzir a atuação de vendedores mal-intencionados", aponta.

Plataforma quer combater a pirataria (Imagem: Reprodução/Pixabay)
Plataforma quer combater a pirataria (Imagem: Reprodução/Pixabay)

A iniciativa é pioneira na região. “No Mercado Livre, acreditamos que sempre existe oportunidade de melhorar e inovar em tudo o que fazemos”, destaca Imach. “Embora já tenhamos várias ferramentas e processos que nos ajudam a detectar anúncios que não cumprem os Termos de Condições e Uso, essa aliança nos permitirá trabalhar de forma integrada e estratégica com as marcas para um ambiente ainda mais seguro e protegido.”

Entre as medidas fundamentais que a plataforma adota para ter um ambiente livre de falsificações e pirataria estão: melhorias contínuas nas ferramentas, com base no relato dos proprietários de marcas, uso de machine learning para notificação e eliminação de vendedores e de anúncios que possam infringir direitos de propriedade intelectual, e a implementação de meios para que as marcas reportem ocorrências regionalmente.

Nesta fase inicial, o Mercado Livre está convidando marcas que já participam do programa de proteção de marca e cujas denúncias envolvem, principalmente, anúncios de produtos falsificados ou pirateados. Conforme o projeto avançar, a oportunidade de fazer parte dele será aberta a outros interessados. Marcas que desejarem aderir à iniciativa podem visitar o site oficial.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos