Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.788,10
    -23,10 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    18.136,17
    +368,12 (+2,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Mercado Livre anuncia abertura de cinco centros logísticos no Brasil para 2021

Rui Maciel
·6 minuto de leitura

O Mercado Livre anunciou nesta quinta-feira (12) seus planos de logística para 2021, com destaque para a abertura de cinco novos centros logísticos no Brasil: três em São Paulo (dois em Cajamar e um em Guarulhos), um em Governador Celso Ramos (Santa Catarina) e um em Extrema (Minas Gerais). O de Cajamar já está em funcionamento, sendo que as demais unidades ficarão prontas ao longo do próximo ano.

Segundo a empresa, quatro, dos cinco centros, servirão à modalidade de Fulfillment, quando o estoque dos vendedores é totalmente gerenciado pelo Mercado Livre, desde o armazenamento até a entrega ao cliente. A quinta unidade atuará na modalidade de cross-docking, entreposto em que o Mercado Livre coleta encomendas, preparadas pelos próprios vendedores, e entrega aos compradores.

As novas operações agregarão 340 mil m² à malha logística que é 100% gerenciada pelo Mercado Envios, braço logístico do Mercado Livre. Com isso, o marketplace espera duplicar a capacidade de armazenamento e de processamento de encomendas.

Esses novos centros logísticos fazem parte do plano de expansão das entregas em até dois dias para todo o país. Atualmente, a malha logística do Mercado Livre realiza entregas em até dois dias, a partir da modalidade de Fulfillment, em 1800 cidades brasileiras, onde vive 80% da população do país.

Empregos

Sobre a operação Fulfillment, na cidade de Cajamar (SP), a empresa terá dois novos centros de distribuição (CDs), de 75 mil m² e 112 mil m², respectivamente. O primeiro desses, já começou a operar nesta última segunda feira, dia 09. Já em Governador Celso Ramos (SC), o Mercado Livre terá um CD de 32 mil m2, com capacidade de expansão para até 71 mil m2. Todavia, antes do CD ficar pronto, em meados de 2021, o Mercado Livre vai abrir uma operação temporária em janeiro de 2021, na mesma cidade, para atender a demanda da região Sul. A operação em Extrema (MG), terá 75 mil m2 e começará a operar até o meio do ano que vem.

Já o Cross-Docking, localizado na cidade de Guarulhos, e que terá 50 mil m2, processará centenas de milhares de pacotes todos os dias, e contará com a proximidade do aeroporto para reduzir prazos de entrega. No último dia 04 de novembro, o Mercado Livre anunciou investimento em uma frota própria de aviões - que leva o nome de MELI Air - para a realização de entregas no território brasileiro. Serão quatro aeronaves operadas por companhias aéreas nacionais que ampliarão a capacidade de fluxo dos pacotes e reduzirão o tempo de entrega dos produtos que estão nos centros de distribuição do marketplace, localizados nos estados de São Paulo e Bahia.

Meli Air: Mercado Livre investe em frota própria de aviões para melhorar a logística de entregas (Foto: Divulgação Mercado Livre)
Meli Air: Mercado Livre investe em frota própria de aviões para melhorar a logística de entregas (Foto: Divulgação Mercado Livre)

Leandro Bassoi, Vice-Presidente de Mercado Envios, braço logístico do Mercado Livre, afirma que os novos CDs trarão benefícios para as comunidades do entorno e os empreendedores das regiões, já que haverá a geração de novos postos de trabalho e a possibilidade de escoamento da produção local. “A implantação dessas novas operações irá dobrar o número de postos de trabalho diretos", disse o executivo. "Serão mais de 13.500 pessoas operando em nossos centros de Fulfillment e cross-docking até o fim de 2021”.

“Além do reforço contínuo na nossa malha logística, destaco os esforços do Mercado Livre em desenvolver tecnologia própria para gerenciar toda a nossa operação logística", continua Bassoi. "Criamos soluções para controlar todos os elos da cadeia, desde o clique da compra até a chegada do pacote na casa do usuário. As entregas via Full são feitas 70% no dia seguinte, e 80% em dois dias, e seguiremos expandindo com o uso da nossa frota aérea dedicada, o MELI Air”.

Os novos centros de distribuição se somam aos três CDs de Fulfillment que a empresa já possui. Eles estão localizados em Cajamar e Louveira (SP), e Lauro de Freitas (BA). O Mercado Livre conta ainda com 16 centros de Cross Docking e outras dezenas de hubs de última milha e ainda milhares de veículos 100% dedicados ao marketplace. Isso significa 600 carretas e mais de 10 mil vans que atuam entre os entrepostos, para ajudar nas entregas de encomendas.

Melhoras e desafios de expansão logística

Segundo Bassoi, o aumento da malha logística própria permite que os números de performance de entrega da companhia melhorem trimestre a trimestre. No período de julho a setembro deste ano, a rede gerenciada do Mercado Envios ganhou penetração, atingindo 64% em uma base consolidada, encerrando o trimestre com 74%. No Brasil, a penetração da rede logística própria atingiu 68% do total das entregas no período, versus 51,6% do segundo trimestre de 2020, resultando em novo aumento do NPS (Net Promoter Score), que mede o nível de satisfação dos clientes.

"Esses números são especialmente recompensadores considerando os desafios que o Brasil apresenta. Nosso país não é o pior lugar do mundo para expansão logística, mas também não é o melhor", continua Bassoi. "Ainda faltam bons projetos no nordeste e sul do Brasil para desenvolver bons centros de distribuição e também temos gargalos importantes na malha aérea, mas com a criação do Meli Air pra resolver esse problema. Para completar, temos a complexidade fiscal brasileira - e quando você gerencia estoque de terceiros essa complexidade sobe a um nível exponencial".

CD do Mercado Livre em Cajamar (SP): boa parte dos R$ 4 bilhões investidos pela empresa em 2020 foi direcionado para logística (Imagem: divulgação / Mercado Livre)
CD do Mercado Livre em Cajamar (SP): boa parte dos R$ 4 bilhões investidos pela empresa em 2020 foi direcionado para logística (Imagem: divulgação / Mercado Livre)


Os novos centros de distribuição estão contemplados no investimento anunciado pela companhia de R$4 bilhões no Brasil ao longo de 2020, que envolve também a ampliação da frota própria de entregas, instalação de novos centros de distribuição e cross-dockings, e o desenvolvimento de novas ferramentas com o objetivo de reduzir o tempo e o custo de entrega do marketplace.

Maior Black Friday da história

Durante a coletiva, Fernando Yunes, vice-presidente senior and Country Lead do Mercado Livre no Brasil, afirmou que a empresa se prepara para ter o maior Black Friday da sua história em 2020. Segundo o executivo, foram feitos investimentos de 3 a 4 vezes maiores do que no ano passado.

Com isso, a companhia espera que 80% das suas entregas em todo o Brasil para essa data sejam feitas em até dois dias. "Caso os clientes se deparam com uma boa oferta na Black Friday, eles não se importam em esperar entre uma semana e dez dias para receber o produto", declarou o executivo. "Nosso objetivo é reduzir esse prazo para 48%, para melhor a experiência de compra do consumidor dentro da plataforma. Será um desafio".

Yunes afirmou ainda que o a perspectiva de crescimento do e-commerce brasileiro não deverá mais baixar da casa dos dois dígitos. "Muitas categorias ainda têm um potencial enorme de crescimento para compras online. No Brasil, a penetração do e-commerce saltou de 8% para 11% nesse ano e não deve baixar mais", prevê. "E acreditamos que essa penetração será de 20% em alguns anos. Na China, ela já passa dos 40% e nos EUA está chegando nos 30%. Ainda temos muito a crescer", completou.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: