Mercado abrirá em 3 h 43 min
  • BOVESPA

    126.003,86
    +951,08 (+0,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.897,79
    +629,34 (+1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,84
    -0,07 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.795,30
    -3,90 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    37.290,18
    -959,36 (-2,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    884,44
    -31,05 (-3,39%)
     
  • S&P500

    4.422,30
    +10,51 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    35.144,31
    +82,76 (+0,24%)
     
  • FTSE

    6.967,40
    -58,03 (-0,83%)
     
  • HANG SENG

    25.086,43
    -1.105,89 (-4,22%)
     
  • NIKKEI

    27.970,22
    +136,93 (+0,49%)
     
  • NASDAQ

    15.077,25
    -40,50 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1014
    -0,0089 (-0,15%)
     

Mercado de IPOs capta volume recorde com maior apetite por ações

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Empresas correm como nunca para abrir o capital, aproveitando os preços das ações em máximas históricas.

Um recorde de quase US$ 350 bilhões foi captado por meio de ofertas públicas iniciais nos primeiros seis meses do ano, segundo dados compilados pela Bloomberg, acima do pico anterior de US$ 282 bilhões do segundo semestre de 2020 e enriquecendo empresários e banqueiros.

Quando a corrida por IPOs começou no ano passado, a tecnologia para ficar em casa dominou o cenário, aproveitando o interesse dos investidores em qualquer coisa digital, enquanto empresas de aquisição de propósito específico, ou SPACs, também inundaram o mercado. Este ano, com as bolsas em contínua alta, a tendência se ampliou e agora inclui empresas de energia renovável e varejistas online.

Empresas como a produtora sueca de leite de aveia Oatly Group e a fabricante de calçados Dr. Martens venderam ações em 2021. Ainda assim, a tecnologia responde por uma grande parte das ofertas. O IPO da Didi Global será um dos maiores nos EUA na última década se a gigante chinesa de aplicativo de transporte levar adiante os planos de vender até US$ 4 bilhões em ações,

“Os mercados de Nova York a Hong Kong estavam aquecidos no primeiro semestre deste ano e deixaram até o boom das pontocom no final dos década de 90 para trás”, disse Aaron Arth, chefe do grupo de financiamento do Goldman Sachs na Ásia, exceto Japão.

O boom foi impulsionado por uma onda de capital injetado por bancos centrais na economia e pelo maior número de investidores de varejo, que estão ansiosos para comprar uma parte de suas empresas favoritas.

Essa onda trouxe ganhos para bancos de investimento do mundo todo, cujas receitas são apoiadas por comissões de subscrição e consultoria. Goldman e Citigroup ocupam os 1 ° e 2° lugares na tabela global de IPOs este ano.

Com tantas empresas abrindo o capital, o setor começando a parecer saturado. Investidores dizem que podem ser exigentes e estão cada vez mais relutantes em pagar preços exorbitantes exigidos por empresas de rápido crescimento que inundam o mercado de IPOs.

Como resultado, uma série de empresas de alto perfil tropeçou nas estreias este ano e algumas começam a ficar assustas. A startup de entrega de comida Deliveroo despencou 26% em seu primeiro dia de negociação em Londres, enquanto as ações da Oscar Health, startup de seguros cofundada por Josh Kushner, caíram 40% desde que a empresa estreou no mercado de Nova York.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos