Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,26
    +0,09 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.865,70
    -2,30 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    13.544,81
    -1,57 (-0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    266,08
    +23,40 (+9,64%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.243,27
    -88,67 (-0,38%)
     
  • NASDAQ

    11.181,00
    -161,75 (-1,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7449
    -0,0007 (-0,01%)
     

Mercado eleva projeção para IPCA em 2020 pela oitava semana consecutiva

Por Isabel Versiani
·1 minuto de leitura
.
.

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - Economistas consultados pelo Banco Central fizeram novo ajuste para cima em sua projeção para a inflação este ano e agora esperam um IPCA de 2,12% em 2020, mostrou o relatório Focus nesta segunda-feira. Esta foi a oitava elevação seguida na projeção, que na semana passada apontava para uma inflação de 2,05%.

Apesar das altas sucessivas, a expectativa dos economistas ainda está bem abaixo da meta do BC, que é de inflação de 4% este ano, com margem de tolerância de 1,5 ponto para mais ou para menos. Para 2021, quando a meta cai para 3,75%, expectativa está em 3,00%, sobre 3,01% na semana anterior.

A projeção para a taxa básica de juros, que está atualmente em 2% ao ano, menor patamar da história, ficou inalterada em 2% para o final deste ano e em 2,50 para o final de 2021.

O relatório Focus mostrou também uma piora da projeção para a entrada de investimento direto no país (IDP) neste ano e no próximo. Expectativa é que o IDP fique em 51,26 bilhões de dólares em 2020 e em 65 bilhões de dólares em 2021, frente a projeções de 55 bilhões de dólares e 68,50 bilhões de dólares, respectivamente, há uma semana.

As estimativas para o déficit em transações correntes, por outro lado, foram reduzidas, para 6,81 bilhões de dólares em 2020 (7,20 bilhões de dólares antes) e 17,00 bilhões de dólares em 2021 (19,45 bilhões de dólares antes), com expectativas melhores para as exportações.