Mercado fechará em 5 h 20 min
  • BOVESPA

    108.495,82
    -445,86 (-0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,18
    -0,96 (-1,13%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +10,20 (+0,56%)
     
  • BTC-USD

    33.442,29
    -2.412,39 (-6,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    760,29
    +517,61 (+213,29%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.374,77
    -119,36 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.218,25
    -208,25 (-1,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1948
    +0,0048 (+0,08%)
     

Mercado de luxo será ‘bancado’ por trabalho híbrido e cripto

·3 min de leitura
"É impossível subvalorizar uma propriedade neste ambiente”, diz Bradley Nelson, diretor de marketing da Sotheby’s, que divulgou seu relatório de perspectivas do mercado de luxo para 2022. (Getty Images)
  • Cripto e trabalho híbrido vão impulsionar o mercado de luxo ao redor do mundo

  • Flórida e Texas, que não tem imposto estadual, viraram estados de luxo nos EUA

  • As considerações fiscais continuam a orientar as decisões de compra de luxo

A única coisa que pode desacelerar o mercado global de luxo em 2022 é... a ganância. “É impossível subvalorizar uma propriedade neste ambiente”, diz Bradley Nelson, diretor de marketing da Sotheby’s International Realty, que divulgou seu relatório de perspectivas do mercado de luxo para 2022 na segunda-feira (10).

Leia mais

Uma combinação potente de bônus altíssimos, transferências intergeracionais de riqueza aceleradas, taxas de juros baixas e o espectro da inflação “tornam o investimento em um ativo fixo e concreto, como imóveis, atraente para muitos, pois equilibram seus portfólios”, diz Nelson. O ambiente é tal que, por menor que seja a cotação de um imóvel, a demanda e a concorrência farão com que seu preço chegue ao topo do mercado.

“Intermediamos uma venda cooperativa em Nova York”, diz Nelson. “O preço pedido era de US$ 40 milhões (R$ 224 milhões) e havia vários bilionários interessados ​​em comprá-lo ao mesmo tempo”, continua ele. “O mercado é uma coisa viva, que respira, e lhe dará feedback quando um estoque novo e desejável chegar ao mercado.” Por outro lado, alerta Nelson, os preços aspiracionais não serão recompensados.

“Certamente é possível supervalorizar uma propriedade”, diz ele, citando o mercado de Los Angeles, onde várias casas recentemente sofreram mais de US$ 50 milhões (R$ 280 milhões) em cortes de preços antes de serem vendidas. “Mas, em última análise, com alguns desses preços ambiciosos, acho que é uma estratégia de descoberta de preços.”

No geral, o relatório descobriu que as tendências que começaram em 2021 – esfriando a demanda nos subúrbios, acelerando os preços nas periferias e um ressurgimento do volume de vendas nos centros urbanos – se estenderão até este ano. “Você está vendo um retorno à normalidade nos mercados suburbanos”, diz Nelson. “Agora está sendo impulsionado por esses eventos tradicionais da vida que alimentaram os subúrbios por gerações.”

"É impossível subvalorizar uma propriedade neste ambiente”, diz Bradley Nelson, diretor de marketing da Sotheby’s, que divulgou seu relatório de perspectivas do mercado de luxo para 2022. (Getty Images)
"É impossível subvalorizar uma propriedade neste ambiente”, diz Bradley Nelson, diretor de marketing da Sotheby’s, que divulgou seu relatório de perspectivas do mercado de luxo para 2022. (Getty Images)

Trabalho híbrido impulsiona o mercado de luxo

“O mercado imobiliário agora está sendo impulsionado pelo trabalho híbrido versus trabalho remoto”, diz ele. O relatório da Sotheby's cita um corretor do Hudson Valley que diz que as pessoas que procuram gastar entre US$ 600.000 e US$ 700.000 "costumavam ser consideradas um bom comprador", mas que agora essa designação foi aumentada para a faixa de "US$ 1,5 milhão (R$ 8,5 milhões) a US$ 2,5 milhões (R$ 14 milhões)".

As considerações fiscais continuam a orientar as decisões de compra de luxo. “Essa é realmente a manchete nos Estados Unidos e internacionalmente”, diz Nelson. “Você verá que os maiores investimentos continuarão sendo em paraísos fiscais.”

A falta de imposto de renda estadual no Texas e na Flórida ajudará os mercados de luxo desses estados a manter seu brilho, diz ele, enquanto os aumentos de impostos em países tão díspares quanto Omã, Irlanda e Canadá, que acabaram de instituir um imposto de 1% sobre o valor de casas detidas por proprietários não residentes e não canadenses podem afetar negativamente os preços de luxo.

Por fim, Nelson diz que o maior impacto nos imóveis de luxo se tornará gradualmente aparente nos próximos cinco anos: “As transações em criptomoedas”, diz ele, “vai crescer de maneira exponencial”. “Se a criação de riqueza impulsiona um mercado e a criptomoeda está impulsionando a criação de riqueza, acho que haverá uma demanda maior por esse tipo de pagamento, em vez de dinheiro.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos