Mercado abrirá em 7 h 26 min
  • BOVESPA

    100.774,57
    -1.140,88 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.007,16
    +308,44 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,48
    +0,91 (+1,39%)
     
  • OURO

    1.778,00
    -6,30 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    56.651,66
    -531,39 (-0,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.436,76
    -32,32 (-2,20%)
     
  • S&P500

    4.513,04
    -53,96 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.022,04
    -461,68 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.168,68
    +109,23 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    23.714,00
    +55,08 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    27.855,40
    -80,22 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    15.955,25
    +85,50 (+0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4503
    +0,0035 (+0,05%)
     

Mercado de criptomoedas supera os US$ 3 trilhões pela 1ª vez na história

·2 min de leitura

Não é só o Ethereum que está em alta. O mercado de criptomoedas superou nesta segunda-feira (8) pela primeira vez o valor de US$ 3 trilhões (R$ 16,3 trilhões), graças a entrada de investidores tradicionais no setor.

O mercado das criptomoedas representava às 17h de Brasília desta segunda-feira US$ 3,7 trilhões (R$ 20,3 trilhões), segundo o site CoinMarketCap. O Bitcoin (BTC), durante o período, estava valendo US$ 66,6 mil (R$ 368,4 mil), se aproximava do valor máximo histórico, enquanto o Ethereum (ETH), conforme noticiado pelo Canaltech, chegava a US$ 4,7 mil. Tanto o bitcoin como o Ethereum representam mais de 40% e 20% do mercado, respectivamente.

Porém, nesta manhã, o Bitcoin quebrou novo recorde, alcançando a marca dos US$ 68 mil (R$ 373,12). Embora, no fechamento desta matéria, ele já tenha voltado para a casa dos US$ 66,6 mil, a moeda por um breve período conseguiu quebrar o recorde anterior, que era de US$ 67,7 mil (R$ 371,48 mil)

<em>O pico do Bitcoin em 9 de novembro. (Imagem: Captura de Tela/Dácio Augusto/Canaltech)</em>
O pico do Bitcoin em 9 de novembro. (Imagem: Captura de Tela/Dácio Augusto/Canaltech)

Embora investidores do mercado em geral não consigam explicar a alta, pelo menos o Bitcoin e o Ethereum contam com mudanças recentes que podem justificar o crescimento. No caso do BTC, desde o fim de outubro, os mercados americanos têm acesso a um fundo indexado (ETF, na sigla em inglês) à evolução do bitcoin, que permite aos investidores apostar na alta da primeira criptomoeda sem sair de Wall Street.

Já a alta no valor do Ethereum está acontecendo desde o final de outubro, por conta do aumento na criação e uso de aplicativos descentralizados e em transações de NFT, feitas a partir da rede blockchain do ETH, além de expectativas que essas tecnologias possam se mostrar uteis em futuros metaversos criados por empresas como a Meta, anteriormente conhecida como Facebook.

Vale alertar que mesmo com essa alta, não está sendo um período bom para todas as criptomoedas. O Shiba Inu, um criptoativo criado para rivalizar com o Dogecoin, alcançou no fim de outubro um tamanho teórico de US$ 40 bilhões (R$ 219,4 bilhões), tornando-se a décima maior criptomoeda, e em menos de uma semana perdeu US$ 10 bilhões (R$ 54,87 bilhões) em valor de mercado. A cautela em investimentos deste setor ainda é necessária.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos