Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.471,92
    +579,70 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,74 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,53
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.772,60
    -15,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    23.063,24
    -135,61 (-0,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    533,20
    -2,02 (-0,38%)
     
  • S&P500

    4.145,19
    -6,75 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.803,47
    +76,65 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.439,74
    -8,32 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.201,94
    +27,90 (+0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.175,87
    +243,67 (+0,87%)
     
  • NASDAQ

    13.216,50
    -110,50 (-0,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2666
    -0,0739 (-1,38%)
     

Mercado de condomínios logísticos entregou mais de 1 milhão de metros quadrados no 2º tri

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ainda que o crescimento do ecommerce dê sinais de arrefecimento com o fim das restrições da pandemia e a condições econômicas estejam instáveis, o mercado de condomínios logísticos segue aquecido.

No segundo trimestre de 2022, o segmento registrou um grande crescimento de estoque, com 855 mil metros quadrados entregues em 12 novos complexos e sete expansões, segundo a consultoria imobiliária SiiLA.

Toda essa nova metragem colocada no mercado poderia sinalizar aumento repentino de espaço ocioso, o que seria um problema para o setor. Desde o fim do ano passado, consultores apontam para uma estabilização dos negócios no setor logístico, encerrando o ciclo de euforia iniciado em 2020 com o início da pandemia.

Poderia ser um problema, mas não foi. Segundo os dados da SiiLA, pelo menos 70% dessa nova metragem entregue já estava pré-locada quando os condomínios abriram as portas.

Somente a gigante Amazon, que trabalha no Brasil exclusivamente com ecommerce, passou a ocupar 217,7 mil metros quadrados. A empresa locou galpão no Log Fortaleza II, no Log Recife, em Cabo de Santo Agostinho (PE), e no GLP Cajamar IV.

O monitoramento da empresa indica que 2,1 milhões de metros quadrados em condomínios logísticos sejam colocados à disposição do mercado até o fim de dezembro. Quase metade desse volume já ficou pronto no primeiro semestre.

Para a consultoria JLL, o novo estoque poderá chegar a 2,4 milhões de metros quadrados. Hoje, o estoque total nesse segmento é de 25,8 milhões de metros quadrados. A taxa de vacância, que define o percentual de espaços disponíveis para locação, está em 9,34% na média nacional, segunda a JLL.

Em algumas regiões, porém, pode chegar a quase zero. Em Minas Gerais, ficou em 0,8% no segundo trimestre, diz a JLL.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos