Mercado de capitais é relevante para portos, diz Fazenda

O Brasil tem como desafio particular desenvolver o mercado de títulos de longo prazo. A afirmação foi feita nesta sexta-feira pelo secretário executivo adjunto do Ministério da Fazenda, Dyogo de Oliveira, em discurso para apresentar ao mercado o presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Leonardo Pereira.

Representando o ministro Guido Mantega, ele mencionou investimentos em infraestrutura e o programa de portos lançado na véspera pela presidente Dilma Rousseff, que prevê investimentos de R$ 54,2 bilhões. "O mercado de capitais precisa cumprir um papel relevante nesse processo", disse.

Oliveira transmitiu um recado de Mantega parabenizando o novo xerife do mercado de capitais. "Estou seguro de ter feito a escolha certa pois seu perfil se enquadra perfeitamente nas necessidades da CVM", disse o ministro em nota lida durante a cerimônia.

O secretário destacou que Pereira assume em um momento de grandes transformações, em que o desafio será trazer mais segurança para os mercados sem prejudicar seu crescimento.

BM&FBovespa

Para o presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto, também presente ao evento, é a hora correta de o mercado de capitais brasileiro ser estimulado para crescer. "A CVM está exatamente no momento de ser a alavanca desse crescimento. Nos últimos anos, a CVM focou em melhorar a regulação, o que hoje é um diferencial no mundo. O foco, agora, é no desenvolvimento. E Leonardo vem com esse espírito", afirmou, após ouvir o discurso de Pereira na cerimônia.

No discurso, o presidente da CVM, empossado no início de novembro, colocou o desenvolvimento do mercado como uma das prioridades da autarquia. O executivo da BM&FBovespa concordou. "Vamos ter nos próximos anos um grande desenvolvimento no mercado de capitais", disse, ressaltando a facilitação do acesso e ofertas de ações de menor porte.

Carregando...