Mercado fechará em 3 h 57 min

Mercado do bitcoin supera trilhão de dólares

·2 minuto de leitura
Imitação física da moeda Bitcoin, em Istambul

O preço do bitcoin disparou nesta sexta-feira (19), aumentando o valor de todos os bitcoins criados desde 2009 para mais de US$ 1 trilhão, em um mercado impulsionado por anúncios de grandes empresas.

Por volta das 13h25 (horário de Brasília), o bitcoin alcançava o novo máximo histórico de US$ 54.182.

Com mais de 18,6 milhões de bitcoins criados por pessoas anônimas desde seu lançamento em 2009, o mercado como um todo representa potencialmente mais de 1,002 trilhão de dólares, de acordo com a página coinmarketcap.com.

Desde o início do ano, o preço do bitcoin subiu 89%, gerando temores de uma bolha semelhante a 2017.

Na sexta-feira, Elon Musk, cuja empresa Tesla contribuiu para o aumento do preço ao anunciar que comprou US$ 1,5 bilhão em Bitcoin, defendeu a decisão de seu grupo no Twitter.

"Quando a moeda sofre uma taxa de juros negativa, seria preciso ser um idiota para não olhar mais longe”, afirmou, acrescentando que “o bitcoin é quase tão bobo quanto o dinheiro fiduciário, insisto no 'quase'”, escreveu ele.

Os defendores do bitcoin veem na rede descentralizada, criada por anonimos em 2008, um meio de se proteger contra as ações dos bancos centrais.

Nos ultimos meses, muitas empresas financeiras manifestaram seu interesse pela criptomoeda.

O gigante dos pagamentos online Paypal, o BlackRock, o banco mais antigo de Wall Street, BNY Mellon, e vários agentes financeiros americanos anunciaram que planejam lançar serviços para usar ou vender criptomoedas.

- "Altamente especulativo" -

Mas o crescimento insaciável do bitcoin preocupa os analistas financeiros, que consideram que, ao ter quintuplicado seus preços em um ano, é muito provavél que a bolha estoure.

“Os tweets de Musk mudaram tudo nas últimas semanas, não estamos falando de compras racionais”, considerou um corretor de criptomoedas, que pediu anonimato.

Por outro lado, os bancos centrais costumam criticar as criptomoedas, como fez a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, chamando o bitcoin de "ativo altamente especulativo" em fevereiro.

Ao superar o trilhão de dólares, o mercado dessa moeda teoricamente supera a capitalização da Tesla e do grupo chinês Tencent em bolsa, e se aproxima dos níveis da Alphabet, do Google.

De qualquer forma, alguns economistas alertam que as comparações são equivocadas, já que o montante de compra e venda de uma moeda não é o mesmo que o de uma empresa. De acordo com o Chainalysis, uma quinta parte dos bitcoins não mudaram de mãos em mais de cinco anos.

js/bp/clp/jz-jvb/mis/bn/ap/bn