Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    45.312,90
    -1.448,27 (-3,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Mercado acionário europeu avança com expectativa de recuperação econômica; ações italianas se destacam

Shreyashi Sanyal e Susan Mathew
·2 minuto de leitura
Bolsa de Frankfurt

Por Shreyashi Sanyal e Susan Mathew

(Reuters) - As ações europeias ampliaram o rali pelo quarto dia consecutivo nesta quinta-feira, com os investidores à espera de uma recuperação econômica global mais rápida, enquanto as metas decepcionantes da Unilever pesaram sobre o índice de Londres. O índice STOXX 600 valorizou-se 0,6%, enquanto o FTSE 100, de Londres, ficou estável, apresentando desempenho inferior ao de seus pares locais pelo segundo dia consecutivo, já que a gigante de consumo Unilever desvalorizou-se 6,2% após sua meta de crescimento de vendas desanimar os investidores.

Um recuo das petrolíferas BP e Royal Dutch Shell também pesou, com a Shell registrando seu menor lucro anual em pelo menos duas décadas.

Enquanto isso, os bancos e a libra esterlina tiveram alta, à medida que os mercados financeiros empurraram as apostas em taxas de juros negativas no Reino Unido para fevereiro de 2022, após o Banco da Inglaterra afirmar que as instituições financeiras britânicas precisam de pelo menos seis meses para se prepararem para juros negativos. "Parece improvável que o Banco da Inglaterra corte os juros tão cedo, com um período de ajuste de seis meses, o que significa que a economia do Reino Unido estará bem em sua recuperação quando elas forem consideradas", disse Joshua Mahony, analista sênior de mercado do IG. As ações italianas valorizaram-se 1,7%, fechando em uma máxima de um mês, ampliando o rali depois que o ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE) Mario Draghi aceitou a tarefa de formar um novo governo na quarta-feira.

. Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,06%, a 6.503,72 pontos.

. Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,91%, a 14.060,29 pontos.

. Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,82%, a 5.608,54 pontos.

. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,65%, a 22.900,55 pontos.

. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 1,37%, a 8.122,60 pontos.

. Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,59%, a 4.791,00 pontos.