Mercado fechará em 6 h 24 min
  • BOVESPA

    107.565,80
    +1.093,88 (+1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,77 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,32
    -0,69 (-0,78%)
     
  • OURO

    1.798,50
    +7,30 (+0,41%)
     
  • BTC-USD

    24.048,22
    +886,50 (+3,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    561,82
    +18,94 (+3,49%)
     
  • S&P500

    4.170,76
    +25,57 (+0,62%)
     
  • DOW JONES

    33.000,84
    +197,37 (+0,60%)
     
  • FTSE

    7.506,77
    +67,03 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    20.045,77
    -156,17 (-0,77%)
     
  • NIKKEI

    28.249,24
    +73,37 (+0,26%)
     
  • NASDAQ

    13.262,00
    +33,25 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2045
    -0,0621 (-1,18%)
     

Mercado de ações americano pode virar a qualquer hora

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- Após um ano de debandada dos grandes investidores institucionais do mercado de ações americano, ele ficou vulnerável e propenso a oscilações rápidas.

Mais evidências disso surgiram por volta das 13h em Nova York na segunda-feira, quando o que parecia ser um segundo dia consecutivo de ganhos para o S&P 500 desmoronou em minutos. Embora a notícia de que a Apple vai pôr um freio nas contratações tenha sido citada como motivo do colapso, tais oscilações tornaram-se comuns para ações em 2022.

O S&P 500 eliminou um ganho de 1% na segunda-feira, cerca de duas semanas depois que o índice apagou uma queda de 2%. É a 17ª vez desde janeiro que o índice reverteu um movimento intradiário de pelo menos 1%, colocando-o em curso para o ano mais volátil desde a crise financeira global.

Um “cabo de guerra” está sendo travado por investidores que pesam as perspectivas de uma recessão econômica contra métricas de preço que se tornam mais robustas e que já podem ter precificado muitas más notícias, de acordo com Adam Phillips, diretor de estratégia de portfólio da EP Wealth Advisors. Pela terceira vez este mês, o S&P 500 saltou acima de 3.900, mas não conseguiu segurar a alta.

“Vimos uma recuperação modesta das mínimas de junho, mas acreditamos que ainda estamos em uma tendência de queda”, disse Phillips. “Podemos esperar o melhor, mas a realidade é que os investidores estão travando uma batalha difícil enquanto esperam que as projeções de lucros se ajustem e a inflação se modere.”

Após as ações perderem até US$ 15 trilhões na liquidação deste ano, os especuladores profissionais reduziram sua exposição a mínimas de vários anos.

A mudança dramática no posicionamento é melhor ilustrada pelos dados do JPMorgan sobre fundos que fazem apostas tanto de alta quanto de baixa. Desde o início do ano passado, a alavancagem do grupo em posições compradas caiu de máximas históricas para mínimas, na casa dos 5%.

Para analistas do JPMorgan, incluindo John Schlegel, esse posicionamento é uma das razões pelas quais o mercado sofreu oscilações fortes diante de dados como o relatório de inflação surpreendentemente alta da última quarta-feira. Naquele dia, os futuros do S&P 500 caíram quase 2% antes de reduzir a perda para fechar um pouco mais baixo. Os rendimentos dos títulos do Tesouro mostraram uma reação semelhante, subindo e depois recuando.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos