Mensagens de celular entre Cameron e jornalista Rebekah Brooks são divulgadas

Londres, 4 nov (EFE).- O conteúdo de duas mensagens de texto trocadas entre o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, e a jornalista e ex-chefe executiva do grupo News International Rebekah Brooks foi publicado neste domingo pelo tabloide sensacionalista "Mail on Sunday".

Trata-se de algumas das mensagens entregues à comissão estabelecida pelo juiz Brian Leveson para investigar a ética jornalística no Reino Unido, depois que eclodiu o escândalo das escutas cometidas pelo extinto tablóide "News of The World" ("NoW") de Rupert Murdoch.

Um porta-voz de Downing Street, residência e escritório oficial do "premier" britânico, confirmou a autenticidade das mensagens e informou que o chefe do Executivo colaborou com a comissão.

Depois que Cameron fez um discurso no congresso anual do Partido Conservador em 2009, Rebekah enviou uma mensagem em que elogiava sua fala e dizia, segundo o jornal: "Um discurso brilhante. Chorei duas vezes. Adorei que trabalharemos juntos".

Na outra mensagem divulgada pelo veículo, também datada de 2009, Cameron menciona o marido da jornalista, o treinador de cavalos Charlie, e agradece que tenha lhe deixado montar um cavalo "rápido, imprevisível, difícil de controlar, mas divertido".

O deputado trabalhista Chris Bryant informou à rede pública "BBC" que escreveu ao juiz Leveson para pedir que todos os e-mails e mensagens de celular trocados entre Cameron e Rebekah sejam publicados.

Espera-se que o juiz Leveson publique um relatório com suas conclusões sobre a investigação da imprensa ainda neste mês.

As duas mensagens foram enviadas em outubro de 2009, pouco depois que Rebekah se tornou chefe executiva do grupo News International, a filial britânica do império britânico de Murdoch News Corporation.

Quando prestou depoimento à comissão Leveson, Rebekah contou que Cameron havia enviado uma mensagem a seu celular quando ela renunciou de seu cargo pelo caso das escutas, em julho de 2011, em que a dizia para "manter a cabeça erguida".

A jornalista apresentou sua carta de demissão depois que o escândalo das escutas feitas durante anos por jornalistas do "NoW" para obter informações exclusivas obrigou Murdoch a fechar o semanário, depois de 168 anos de história.

Rebekah Brooks é acusada, com seu marido Charlie, por obstrução à justiça, e a jornalista tem pendente outro julgamento junto com o ex-assessor de imprensa de David Cameron, Andy Coulson, pelo caso das escutas.

Espera-se que o juiz Leveson publique um relatório com suas conclusões sobre a investigação da imprensa ainda neste mês. EFE

Carregando...