Menor alta de alimentos puxou recuo do IPCA-15

Os aumentos menores nos preços dos alimentos foram responsáveis pela desaceleração na inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) na passagem de outubro para novembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O grupo alimentos saiu de uma taxa de 1,56% em outubro para uma variação de 0,83% em novembro. No mesmo período, o IPCA-15 desacelerou a alta de 0,65% para 0,54%.

Produtos importantes no orçamento das famílias tiveram aumentos menores, como o arroz (de 11,91% em outubro para 6,63%, em novembro), o óleo de soja (de 3,01% para 2,21%), o frango (de 4,13% para 1,43%), o pão francês (de 2,43% para 1,11%) e as carnes (de 2,92% para 0,54%).

As mesmo tempo, ficaram mais baratos para o consumidor a cebola (de 9,97% para -8,79%), a batata inglesa (de 19,23% para -4,45%), o feijão carioca (de 4,66% para -2,36%), o tomate (de -18,44% para - 20,66%), a cenoura (de -9,59% para -15,63%) e o açúcar cristal (de -0,42% para -2,97%).

Carregando...