Mercado fechará em 1 h 16 min
  • BOVESPA

    122.081,75
    +1.732,95 (+1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.256,76
    +364,48 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,13
    -0,23 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.836,10
    +6,20 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    35.576,13
    -482,75 (-1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    692,18
    -42,96 (-5,84%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.720,65
    -15,06 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.862,77
    +288,91 (+1,01%)
     
  • NIKKEI

    28.242,21
    -276,97 (-0,97%)
     
  • NASDAQ

    12.806,50
    +4,25 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3629
    -0,0297 (-0,46%)
     

Membro do BOE diz que recuperação poderia exigir juros negativos

David Goodman (London) e Lucy Meakin
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Gertjan Vlieghe, membro do Banco da Inglaterra, diz que a instituição deve estar preparada para injetar estímulo monetário, o que incluiria taxas de juros negativas, para uma recuperação econômica completa da pandemia.

Embora as medidas atuais possam ser suficientes para superar a crise de saúde com as vacinas, o impacto nos empregos e nos investimentos - combinado com a necessidade de lidar com o Brexit “haja um acordo ou não” - pode encurtar a recuperação antes do desejado, disse o membro do Comitê de Política Monetária em entrevista à Bloomberg na sexta-feira.

Se os mercados estiverem calmos, mas a demanda for fraca o suficiente para necessitar de outro impulso do BOE, então “uma combinação de QE [flexibilização quantitativa] e, provavelmente, juros mais baixos é o que será necessário”, disse.

Os mercados monetários anteciparam apostas em um maior afrouxamento da política monetária do BOE e esperam um corte dos juros para 0% em março de 2022.

Vlieghe falou um dia depois de o Comitê de Política Monetária ter votado unanimemente para manter o atual programa de compra de títulos, com a taxa básica de juros inalterada em 0,1%. Ele disse que, se mais estímulo for necessário, suas expectativas são relativamente baixas em relação ao efeito do aumento das compras de títulos e que qualquer corte dos juros precisaria ser considerável.

Abaixo de zero

Isso significaria que a taxa básica do BOE poderia ficar abaixo de zero pela primeira vez. Autoridades de política monetária já estudam se tal medida pode ser implementada sem prejudicar o sistema bancário.

“Ao falarmos em adicionar estímulo significativo à economia, o corte da taxa de juros que podemos fazer sem ficar negativa é, obviamente, muito pequeno”, disse Vlieghe. “O risco de acabar sendo contraproducente é baixo e, portanto, se nos encontrarmos em circunstâncias em que precisamos de mais estímulos, esse seria um risco que estou disposto a correr.”

A recente distribuição de vacinas deve apoiar a economia e reduzir significativamente o risco da necessidade de injetar mais estímulos para enfrentar a crise imediata da Covid, afirmou.

Mas Vlieghe também alertou para alguns meses difíceis.

“Temos que reconhecer que temos um inverno muito difícil pela frente”, disse.

“Os casos estão novamente aumentando, a vacina não chegará em breve para conter isso”, disse Vlieghe. “Então, vamos precisar de mais restrições além das que já temos, e também a economia vai ter que se ajustar ao Brexit, haja um acordo ou não.”

E, se a volatilidade do mercado aumentar, o BOE pode elevar as compras de ativos, afirmou.

“Isso é algo que podemos e iremos implantar muito rapidamente, se necessário”, disse. “Podemos convocar uma reunião imediatamente.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.