As melhores maneiras de demitir alguém


SÃO PAULO - Pode parecer legal ou engraçado ouvir a famosa frase “Você está demitido!” do apresentador e publicitário Roberto Justus no programa "O Aprendiz", na Record. Mas a graça acaba na televisão, porque na vida real muitos gestores e empregadores não sabem lidar com a situação (ainda mais o demitido). Nessas horas, especialistas recomendam manter a calma e fornecer uma explicação para a ação.

Leia também:
Mais da metade dos profissionais está insatisfeita com seu gestor
Veja 7 profissões consideradas "paranormais"

10 doenças mais comuns entre os executivos
Os 10 profissionais que mais bebem café
As 10 carreiras que mais causam depressão

Além disso, o site The Wall Street Journal montou outras dicas para dar a notícia de forma agradável e um pouco menos traumática: 

Seja você mesmo. O portador da má notícia deve ser o gestor direto do ex-empregado. Caso contrário, este pode se perguntar se o supervisor apoia ou sabe desta decisão e pode levantar dúvidas sobre as causas da demissão, conta o advogado trabalhista, Maurice Fitzgerald, ao site.

Se puder, traga testemunha. Levando outro gerente ou algum profissional de Recursos Humanos da empresa junto para a tomada de decisão pode ajudar a evitar um “leva e traz” e causar mal estar na hora “H”. Um terceiro pode garantir que a conversa continue no tema e que seja profissional.

Registre toda a conversa. após receber a notícia, muitas pessoas tendem a esquecer de detalhes que daqui algum tempo poderão se tornar um problema, como o pagamento final ou outros direitos trabalhistas. Por isso, registre toda a conversa e tenha em mãos as informações necessárias para entregar ao ex-empregado após a conversa.

Seja rápido. “Faça disso menos conversa e mais uma notificação”, disse o diretor-executivo e presidente da empresa Fierce Inc. Especialistas sugerem que a reunião deva durar entre 15 a 20 minutos.

Também seja específico. Nossa imaginação pode ser a nossa pior inimiga. O grau de periculosidade aumenta quando há resquícios de dúvidas pendentes e a razão parece falha. Você não vai gostar se seu ex-empregado acusar sua empresa de preconceituosa ou algo do gênero, mas isso pode acontecer caso você não seja direto e sincero com as causas da demissão.

A consultora de recursos humanos na G&A Partners, Rebecca Regard, diz que a ocasião pede relembrar erros do profissional e mostrar a ele porque foi tomada essa decisão. Isso é, vá direto ao ponto.

Não se desculpe. Pedir desculpas ou dizer que lamenta muito a demissão pode causar dúvidas ao profissional sobre as causas da ação. Fitzgerald diz que comentários como "Isso é realmente uma coisa boa para você" também são inadequados, pois poderá soar falsidade.

Faça na sexta-feira, segunda ou terça. Não há um consenso sobre o melhor dia para demitir alguém. Na sexta-feira faz parecer menos dramático, mas poderia deixar o empregado deprimido no final de semana. Nas segundas, permite que o profissional busque emprego na mesma semana, mas será difícil ficar em casa nos restos dos dias. A resposta? Não demore e nem fique planejando demais sobre isso. Faça a notificação assim que a decisão for tomada.

Carregando...