Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.009,68
    -38,61 (-0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Melhor 'choque' que Mancini pode dar ao Corinthians é o de realidade

Alexandre Guariglia
·2 minuto de leitura


A derrota do Corinthians para o Flamengo, por 5 a 1, no último domingo, foi apenas o segundo jogo de Vagner Mancini no comando do time alvinegro. Porém, pelo discurso do treinador, já foi suficiente para entender a situação do time na temporada e, principalmente, no Brasileirão. Sua função, cada vez mais, parece ser a de dar um choque de realidade no elenco e no torcedor.

Quando foi apresentado, na última semana, Mancini foi questionado o que faria nessas primeiras partidas sem poder ter muito tempo de treinamento por conta da maratona do calendário brasileiro. Em sua resposta, ele disse que iria tentar dar um "choque" inicial nos jogadores, para tentar obter algum resultado dentro de campo. Desde então, ele já fazia um discurso realista sobre a equipe.

No dia seguinte veio a estreia do treinador no Timão, fora de casa, diante do Athletico-PR. Durante praticamente os 90 minutos, o Furacão dominou a partida e teve as melhores chances de balançar a rede. Se não fosse uma atuação brilhante de Walter, teria sido uma goleada na Arena da Baixada. Mas um lance praticamente perdido, no fim do duelo, deu a vitória ao Corinthians.

Aquele gol de Everaldo, no entanto, não enganou Mancini, que em sua coletiva depois do jogo reconheceu que ainda havia muito a ser feito, mesmo que para um início de trabalho e apenas dois dias de treinamento. A sinceridade nas respostas deram mais uma vez o tom realista que o comandante trouxe consigo para essa missão emergencial no clube do Parque São Jorge.

Depois de mais três dias de treinamento, preciso encarar o Flamengo, um dos líderes do Brasileirão e aquele que é considerado o melhor elenco do futebol brasileiro. Era previsto que a disparidade técnica fosse bastante evidente na partida do último domingo, mas não do tamanho que o placar de 5 a 1 escancarou. É verdade que o Corinthians até surpreendeu em alguns momentos, mas nada que pudesse diminuir a diferença entre os times.

E mais uma vez Mancini ativou o "modo sincerão" na entrevista coletiva após a partida. O treinador corintiano retratou alguns defeitos da equipe que valem inclusive para o duelo anterior, com o Athletico-PR, e que certamente já foram vistos em tantos outros jogos da temporada. Entre os pontos citados estavam a questão física, as falhas na leitura tática, a falta de competitividade em alguns setores e o sistema de marcação, que tem oferecido muitos espaços.

Esse "sincericídio" de Vagner Mancini pode até parecer pesado para torcedores, jogadores e profissionais do clube, mas talvez seja justamente o que o Corinthians esteja precisando neste momento. Passou da hora de deixar de lado as expectativas por título e até por vaga em competição sul-americana. A realidade do Timão neste fim de primeiro turno é a briga contra o rebaixamento. Entendendo isso, o futuro pode trazer dias melhores.