Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.423,04
    +384,72 (+1,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Megaestruturas alienígenas ao redor de anãs brancas podem indicar civilizações

As esferas de Dyson, megaestruturas teóricas que podem sinalizar a presença de civilizações altamente avançadas, podem existir ao redor das estrelas anãs brancas. É o que propõe Benjamin Zuckerman, ex-professor de astrofísica na Universidade da Califórnia em um novo estudo, em que descreve que estas estruturas devem causar alterações perceptíveis na assinatura das estrelas que, talvez, possam ser identificadas por nossos telescópios.

Propostas pelo físico e astrônomo Freeman J. Dyson, as esferas de Dyson são estruturas teóricas que seriam construídas ao redor de estrelas, para coletar grandes quantidades de energia delas. Estas esferas seriam parecidas com anéis ao redor da estrela ou até um “enxame” de pequenos habitats — e, para o Dr. Zuckerman, alguma destas configurações teriam assinaturas únicas e detectáveis.

As estrelas de massas solares colapsam em anãs brancas, objetos que emitem radiação a altíssimas temperaturas; aos poucos, elas esfriam (Imagem: Reprodução/University of Warwick/Mark Garlick)
As estrelas de massas solares colapsam em anãs brancas, objetos que emitem radiação a altíssimas temperaturas; aos poucos, elas esfriam (Imagem: Reprodução/University of Warwick/Mark Garlick)

Por isso, ele sugere escanear diferentes estrelas anãs brancas em busca de assinaturas infravermelhas anômalas, que podem indicar a existência de estruturas artificiais ao redor delas. Além de as anãs brancas representarem o fim da vida de diferentes estrelas, incluindo o Sol, elas emitem radiação térmica que pode ser absorvida por uma esfera de Dyson, alimentando-a.

Claro que seria necessária uma civilização extremamente avançada antes de alguma estrutura do tipo ser observada ao redor de uma anã branca. Em trabalhos anteriores, Zuckerman descreveu que partes destas civilizações poderiam conseguir transformar suas estrelas em anãs brancas; portanto, caso elas tenham feito algo do tipo, podemos conseguir observar as estruturas com novos telescópios infravermelhos.

O Dr. Zuckerman estima que, com as observações já realizadas, menos de 3% dos exoplanetas habitáveis ao redor de estrelas que vão se tornar anãs brancas poderiam ter civilizações capazes de ter construído esferas de Dyson ali. Felizmente, telescópios infravermelhos mais avançados, como o James Webb, podem ajudar a encontrá-las, caso existam.

O artigo com os resultados do estudo foi publicado no repositório online arXiv, sem revisão de pares.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos