Mercado fechará em 4 h 7 min
  • BOVESPA

    111.889,35
    +1.685,58 (+1,53%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.306,88
    +202,49 (+0,40%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,61
    +1,01 (+1,18%)
     
  • OURO

    1.831,80
    -20,70 (-1,12%)
     
  • BTC-USD

    38.211,97
    +1.607,77 (+4,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    879,57
    +23,76 (+2,78%)
     
  • S&P500

    4.434,69
    +78,24 (+1,80%)
     
  • DOW JONES

    34.770,23
    +472,50 (+1,38%)
     
  • FTSE

    7.503,70
    +132,24 (+1,79%)
     
  • HANG SENG

    24.289,90
    +46,29 (+0,19%)
     
  • NIKKEI

    27.011,33
    -120,01 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    14.374,75
    +234,00 (+1,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1560
    +0,0039 (+0,06%)
     

MedTech | As 5 inovações cientificas mais interessantes do mês [12/21]

·3 min de leitura

O ano de 2021 se encerra com a chegada de muitas novidades voltadas à área da saúde, principalmente no que diz respeito à luta contra o coronavírus, por exemplo, que vem preocupando tanto a população mundial. Dito isso, confira as inovações cientificas mais interessantes de dezembro!

Hidrogel reparador de músculos, cordas vocais e coração

O mês começou com um marco na medicina regenerativa, uma vez que no dia 3 noticiamos o novo experimento conduzido por uma equipe de pesquisadores da Universidade de McGill (Canadá): um hidrogel feito de água e poliamida, que permite a reparação de músculos, cordas vocais e até coração, favorecendo a proliferação e o crescimento de células teciduais. Atualmente, o grupo planeja usar a tecnologia de hidrogel para criar pulmões para testar drogas contra a covid-19.

Chiclete que neutraliza coronavírus

Cientistas misturaram chiclcete a uma proteína chamada ACE2 para conter o vírus (Imagem: Daniell et al, 2021)
Cientistas misturaram chiclcete a uma proteína chamada ACE2 para conter o vírus (Imagem: Daniell et al, 2021)

No dia 8, nós nos surpreendemos com um chiclete capaz de neutralizar o coronavírus. Pesquisadores da University of Pennsylvania misturaram a uma proteína chamada ACE2, alcançando o potencial de reduzir a carga viral na saliva para impedir a transmissão do vírus.

Os responsáveis pelo estudo observaram que esse chiclete evitou que as partículas virais entrassem nas células, ligando-se diretamente à proteína spike. Após se deparar com esse êxito, a equipe começou a se concentrar em testar a segurança e eficácia do chiclete em pessoas infectadas com covid-19.

Aço inoxidável capaz de inativar coronavírus

Material feito de pó de cobre, pó de óxido de prata e aço inoxidável (Imagem: Ming-yan et al, 2021)
Material feito de pó de cobre, pó de óxido de prata e aço inoxidável (Imagem: Ming-yan et al, 2021)

Ainda com a proposta de combater a covid, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Hong Kong desenvolveu um material capaz de inativar o coronavírus, feito de pó de cobre, pó de óxido de prata em nanoescala e pó de aço inoxidável. O estudo teve sucesso, uma vez que esse material apresentou um alto efeito de inativação nos patógenos. A ideia é aplicar isso a aeroportos, estações de trem e áreas de lazer, como cinemas e estádios.

Caneta detectora de poluentes na água

(Imagem: Reprodução/Agência Fapesp)
(Imagem: Reprodução/Agência Fapesp)

Uma das inovações científicas noticiadas no último mês de 2021 no Canaltech é a caneta detectora de poluentes químicos eliminados na água, desenvolvida por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP).

A invenção funciona a partir de um sinal elétrico produzido por reações químicas de oxidação que ocorrem na superfície do sensor quando em contato com uma amostra contendo o bisfenol-A, um composto muito utilizado para fazer plásticos de policarbonato.

Dispositivo para tratar aneurisma cerebral

(Imagem: Reprodução/Fudge et al., 2021/Journal of NeuroInterventional Surgery)
(Imagem: Reprodução/Fudge et al., 2021/Journal of NeuroInterventional Surgery)

O mês repleto de inovações científicas se encerra com um novo dispositivo para o tratamento de casos complexos de aneurisma cerebral (quadro que acontece quando há dilatação em um dos vasos sanguíneos que levam sangue até ao cérebro).

O dispositivo é implantado através de um cateter que é direcionado da artéria femoral para o local da obstrução no cérebro. Por enquanto, a invenção — que ganhou o nome de Cerus Contour — foi utilizada em 12 procedimentos. Os voluntários seguem em acompanhamento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos