Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,17
    +0,02 (+0,02%)
     
  • OURO

    1.665,40
    -4,60 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    19.489,19
    +420,45 (+2,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,34
    +16,56 (+3,86%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    26.371,19
    +197,21 (+0,75%)
     
  • NASDAQ

    11.543,75
    -12,00 (-0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2269
    -0,0057 (-0,11%)
     

MedTech | As 5 inovações cientificas mais interessantes do mês [08/22]

A cada mês, a ciência e a tecnologia estreitam relações, sob a única premissa de facilitar a vida do ser humano e solucionar questões pertinentes a diversas áreas, como a saúde, por exemplo. Com isso, selecionamos as maiores inovações científicas anunciadas neste mês de agosto.

Lente detectora de câncer

Detectar câncer através de uma lente de contato está perto de ser possível (Imagem: AtlasComposer/Envato)
Detectar câncer através de uma lente de contato está perto de ser possível (Imagem: AtlasComposer/Envato)

De vez em quando, a ciência pega de surpresa e leva a descobertas inimagináveis, como a possibilidade de detectar o câncer através de uma lente de contato. Pois é justamente essa a proposta de um grupo de pesquisadores, que publicaram um artigo na revista científica Advanced Functional Material.

A tecnologia se concentra em identificar proteínas dos exossomos, pequenas estruturas encontradas em diferentes tipos de secreções corporais (como as lágrimas), com potencial para serem biomarcadores de diagnóstico de câncer. A lente de contato foi projetada com microcâmaras ligadas a anticorpos que podem capturar exossomos, e após a captura, é possível identificar a possível presença de algum tumor.

Smartphone contra zumbido no ouvido

Nova terapia interage com o cérebro a ponto de reduzir o zumbido no ouvido, consagrando-se como uma das inovações científicas mais interessantes (Imagem: Sam/Unsplash)
Nova terapia interage com o cérebro a ponto de reduzir o zumbido no ouvido, consagrando-se como uma das inovações científicas mais interessantes (Imagem: Sam/Unsplash)

Quando uma pessoa tem zumbido no ouvido, pode haver um enorme impacto no bem-estar. Por isso, alguns pesquisadores desenvolveram um tratamento para esse paciente, em que ele ouve uma variedade de sons por meio de fones de ouvido Bluetooth e fornece feedback ao aplicativo em si. Essa nova terapia em estudo é responsável por reconectar o cérebro a ponto de reduzir a relevância do zumbido para o ouvinte.

Gel injetável contra tumor cerebral

Gel pode erradicar células-tronco tumorais existentes no cérebro (Imagem: Anna Shvets/Envato)
Gel pode erradicar células-tronco tumorais existentes no cérebro (Imagem: Anna Shvets/Envato)

Como você pode perceber, combater tumores é uma das preocupações da comunidade científica. Isso se traduz em uma das inovações científicas mais interessantes do mês, que é um gel injetável capaz de erradicar células-tronco tumorais que possam permanecer no cérebro.

Esse material pode ser injetado na cavidade cerebral deixada pelo tumor e preencher completamente essa cavidade, liberando um medicamento no tecido e promovendo a resposta imune que combate o câncer.

IA capaz de detectar Parkinson na respiração

(Imagem: twenty20photos/Envato)
(Imagem: twenty20photos/Envato)

Neste mês, uma equipe de cientistas norte-americanos que desenvolveu uma Inteligência Artificial (IA) capaz de detectar a doença através da respiração. Para o exame, foi desenvolvido um dispositivo que emite sinais de rádio, analisa seus reflexos no ambiente ao redor e extrai os padrões respiratórios do paciente, sem qualquer interferência corporal. Em seguida, o sinal de respiração é enviado para a rede neural e esta avalia indícios de Parkinson de maneira passiva.

Embriões sintéticos para doação de órgãos

Embriões sintéticos podem resolver a escassez no banco de órgãos (Imagem: vladimirzotov/envato)
Embriões sintéticos podem resolver a escassez no banco de órgãos (Imagem: vladimirzotov/envato)

A empresa de biotecnologia Renewal Bio já conseguiu trazer à tona um embrião de camundongo “sintético” criado sem a necessidade de esperma, óvulo ou mesmo útero. Agora, a ideia é recriar o experimento usando células humanas, com o objetivo final de usar embriões humanos sintéticos para produzir órgãos destinados a doações para quem precisa.

O método para manter embriões de roedores vivos por vários dias — consagrando-os como uma das inovações científicas mais interessantes do mês — consiste em incubadoras que giram líquidos cuidadosamente, como uma roda gigante.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: