Mercado fechará em 54 mins
  • BOVESPA

    119.807,31
    -1.434,32 (-1,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.595,28
    -862,74 (-1,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,99
    +0,63 (+1,20%)
     
  • OURO

    1.841,20
    +11,30 (+0,62%)
     
  • BTC-USD

    37.071,21
    +629,48 (+1,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    736,14
    +20,95 (+2,93%)
     
  • S&P500

    3.800,26
    +32,01 (+0,85%)
     
  • DOW JONES

    30.975,50
    +161,24 (+0,52%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.642,28
    +779,51 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.945,75
    +143,50 (+1,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4782
    +0,0829 (+1,30%)
     

Medo sobre nova variante do coronavírus no Reino Unido pressiona Ibovespa

Peter Frontini
·3 minuto de leitura
Sede da B3

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O índice de referência da Bovespa devolveu parte das perdas do início da sessão desta segunda-feira, mas ainda registrava firme queda, pressionado pelo desempenho de mercados globais em meio a temores sobre uma nova variante do coronavírus encontrada no Reino Unido que está rapidamente se espalhando para outros países.

Às 11:22, o Ibovespa caía 1,59%, a 116.147,92 pontos. No pior momento do dia, o índice tinha desvalorização de 2,8%. O volume financeiro somava 14 bilhões de reais.

Na sexta-feira, o Ibovespa fechou em queda de 0,32%, a 118.023,67 pontos, mas terminou a semana com elevação de 2,5%, engatando a maior sequência de ganhos semanais desde 2017.

Durante o final de semana, vários países europeus impuseram novas restrições a viagens relacionadas ao Reino Unido diante de preocupação com a disseminação da nova cepa do vírus. O país também estabeleceu medidas de restrição mais rígidas para conter o avanço da doença.

"Colocando as notícias em perspectiva, é possível observar que a queda abrupta desta segunda-feira não anulou os ganhos da alta acumulada das últimas semanas", afirmou Rafael Bevilacqua, estrategista-chefe da Levante Investimentos.

"Ao contrário, o movimento inicial indica que a queda é uma correção saudável após as fortes altas de novembro e dezembro."

Enquanto isso, na véspera foram notificados 408 novos óbitos em decorrência da Covid-19 no Brasil, elevando o total a 186.764 vítimas fatais. Também foram registrados 25.445 novos casos, segundo dados do Ministério da Saúde. O Estado de São Paulo não reportou números no domingo, alegando um problema no sistema do Ministério.

Nos Estados Unidos, parlamentares chegaram a um acordo sobre um pacote de 900 bilhões de dólares para fornecer a primeira ajuda nova em meses à economia e a famílias afetadas pela pandemia, com votação provavelmente ocorrendo ainda nesta segunda-feira.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN caía 3,4%, enquanto as ações ordinárias da petrolífera perdiam 3,35%. Novas medidas de isolamento social diante da nova cepa do vírus abalavam os preços do contrato futuros do petróleo nesta segunda-feira, chegando a cair mais de 5% em seu pior momento. PETRORIO ON recuava 2,2%.

- GOL PN desvalorizava-se 4,9%, também afetada pelas novas restrições relacionadas à pandemia. Mais cedo, a empresa anunciou precificação de emissão de 200 milhões de dólares com vencimento em 2026. AZUL PN tinha queda de 4,6% e CVC ON recuava 4,7%.

- VIA VAREJO ON perdia 2%, após mitigar perdas do início da sessão, tendo chegado a cair cerca de 12,5%. No setor, LOJAS AMERICANAS PN caía 3,2% e MAGAZINE LUIZA ON registrava declínio de 0,3%.

- CSN ON renovou sua máxima intradia com alta de 3,4%. Os futuros do minério de ferro na bolsa chinesa de Dalian saltaram quase 10% nesta segunda-feira apesar dos receios sobre a nova cepa de coronavírus. Do outro lado, VALE ON recuava 1,3%, mas ainda acumulando alta de quase 70% em 2020.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

(Edição Alberto Alerigi Jr.)