Mercado abrirá em 6 h 41 min
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,10
    +2,95 (+4,33%)
     
  • OURO

    1.794,60
    +6,50 (+0,36%)
     
  • BTC-USD

    57.229,71
    +2.945,64 (+5,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.429,84
    -25,57 (-1,76%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    23.894,83
    -185,69 (-0,77%)
     
  • NIKKEI

    28.383,03
    -368,59 (-1,28%)
     
  • NASDAQ

    16.218,25
    +167,25 (+1,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2980
    -0,0505 (-0,80%)
     

Medo da pandemia mantém compras online em alta, confirma pesquisa

·2 min de leitura

Com a aproximação da Black Friday, as lojas se preparam para receber os clientes, tanto no ambiente online quanto no offline. O que as pesquisas têm indicado, no entanto, é que muitos consumidores devem preferir o ambiente virtual para comprar na data.

Uma pesquisa da Conversion aponta que 62,96% dos consumidores brasileiros vão fazer compras somente pela internet na data. O motivo? O medo de se contaminar com covid-19 em estabelecimentos físicos. “Apesar de a reabertura de algumas cidades já ter sido totalmente concluída, a maior parte da população ainda tem algum receio em relação à pandemia”, diz Diego Ivo, CEO da Conversion.

Compras online serão maioria na Black Friday (Imagem: Reprodução/Freepik/Snowing)
Compras online serão maioria na Black Friday (Imagem: Reprodução/Freepik/Snowing)

O estudo ouviu 400 brasileiros conectados à internet para saber quais são as expectativas do consumidor para a Black Friday 2021. A expectativa é que a edição deste ano no Brasil seja a maior já registrada desde a chegada da data comemorativa por aqui. Em relação a 2020, o crescimento na intenção de compra é de 14,7%.

Neste ano, mais da metade (55,84%) dos consumidores pretende adquirir produtos e serviços cujos preços variam entre R$ 500 e R$ 3 mil. “Ainda que a maior parte deles (29,06%) chegue somente até R$ 1 mil, o valor pode ser considerado alto”, aponta Ivo.

Celulares e eletrônicos

O item mais desejado pelos consumidores são celulares, com 66,67% das intenções de compra, eletroeletrônicos em geral (60,68%), moda e acessórios (47,58%) e calçados (40,46%). “Embora 2020 tenha sido um marco no comércio eletrônico, justamente pela crise sanitária e pelo fechamento do comércio físico, este ano podemos esperar um varejo virtual mais maduro”, destaca Ivo.

Para ele, as atenções do consumidor agora se voltam às compras online por mais segurança e mais comodidade. Segundo o executivo, o medo de fraudes nesta Black Friday diminui em relação ao ano passado, mas ainda é um fator determinante. “Quando perguntados sobre o medo de fraudes, 80,63% dos consumidores afirmam que têm em algum grau”, revela.

As compras para o Natal lideram as intenções: 86,04% dos entrevistados usam a Black Friday para garantir os presentes de fim de ano. Os mais presenteados são os familiares próximos, como cônjuge e filhos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos