Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -0,32 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    36.559,13
    +1.558,46 (+4,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,12 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -43,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Medida Provisória do governo Bolsonaro impede campanha de vacinação de SP

Ana Paula Ramos
·1 minuto de leitura
El gobernador del estado de Sao Paulo João Doria, izquierda, y el director del Instituto Butantan, Dimas Covas, sostienen una caja de una vacuna experimental contra el COVID-19 que está siendo sometida a pruebas en sociedad con la farmacéutica china Sinovac, durante una conferencia de prensa el lunes 9 de noviembre de 2020, en Sao Paulo, Brasil. (AP Foto/André Penner)
Governador do estado de Sao Paulo João Doria, e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, anunciam campanha de vacinação contra covid com a CoronaVac (AP Foto/André Penner)

A Medida Provisória (MP) editada pelo presidente Jair Bolsonaro na última quarta-feira (6) vai impedir a campanha de vacinação divulgada pelo governo de São Paulo. Isso porque, segundo Élcio Franco, secretário executivo do Ministério da Saúde, a medida do governo federal determina que a vacinação ocorra de forma simultânea em todo o país.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, também afirmou, na quinta-feira (7), que não serão permitidos planos estaduais e municipais de vacinação.

Leia também

De acordo com o Ministério da Saúde, os princípios do SUS são integralidade, universalidade e equidade de recursos para a saúde.

Durante a live de ontem do presidente, Pazuello afirmou que a campanha de vacinação deve começar no início de março, no máximo, mas a previsão mais otimista é que seja possível começar já em 20 de janeiro.

O governador de São Paulo, João Dória, anunciou em dezembro que pretendia começar a campanha de vacinação no estado em 25 de janeiro, priorizando profissionais da área da saúde, indígenas, quilombolas e pessoas acima dos 60 anos.

O texto da MP editada pelo presidente Bolsonaro também possibilita a aquisição de vacinas contra a Covid-19 por parte do governo federal antes da obtenção do registro dos imunizantes na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de permitir a compra de seringas e agulhas sem licitação, entre outros insumos relacionados à vacinação.