Mercado fechará em 5 h 18 min

Médico que defendeu uso de vermífugo contra Covid-19 está internado em UTI

Melo Júnior deu entrevista dizendo que estava 'muito bem' e defendeu o uso do vermífugo contra a Covid-19. (Foto: Reprodução/TV Serra Dourada)

Um cirurgião-geral infectado com o novo coronavírus deu entrada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Anis Rassi, em Goiânia (GO), após defender o uso do vermífugo ivermectina no combate à Covid-19.

No dia 6 de julho, o médico Joaquim Inácio Melo Júnior afirmou durante entrevista na TV Serra Dourada, uma afiliada do SBT em Goiás, que estava infectado há 8 dias, mas estava reagindo “muito bem” graças a ivermectina.

Leia também

“Estou de quarentena, já faz 8 dias, e desse jeito aqui ó, na UTI”, disse ele, dando tapinhas no rosto, brincando que estava bem de saúde e ironizando uma possível internação. Questionado se, de fato, foi à UTI, o cirurgião respondeu: “Não, claro que não. Tem 110 dias que eu venho pregando esse tratamento profilático e eu era uma voz quase solitária”.

O médico afirmou ainda que era favorável ao uso preventivo do vermífugo, negou que exista contra-indicação e comparou o uso do vermífugo a uma vacina contra a Covid-19.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

“Eu sou a favor (do uso da ivermectina) na prevenção e dever ser feito o tratamento precoce, até 5 ou 7 dias do início do sintomas. (...) Eu sou cirurgião, estou na ponta, não estou fazendo ‘pesquisinha’ não porque não dá tempo, não dá para esperar 1 ano para ficar pronta a pesquisa, assim como a vacina, que não vai ter esse ano não, esquece. A vacina chama-se ivermectina”, completou ele.

Melo Júnior informou que ele não chegou a procurar médicos especialistas no início da doença e que tomou o vermífugo como prevenção, assim como o receitou para mais de 100 pacientes.

“Avisa o pessoal: além de eu ser um médico que estou encampando essa campanha, eu sou paciente de mim mesmo. Não procurei infectologista nenhum para tratar de mim não. Tratei a mim como tratei mais de 100 pacientes”.

Segundo ele, seu período de quarentena acabaria no domingo (12). No entanto, apresentou uma piora no quadro de saúde na sexta-feira (10) e precisou ser hospitalizado. No dia seguinte, ele gravou um vídeo para seus familiares dizendo que estava com pressão baixa e desidratado. O cirurgião segue internado na UTI.

Melo Júnior liderou uma campanha de médicos goianos para distribuição de medicamentos para “prevenção” da Covid-19. Eles chegaram a doar 1,8 mil kits-Covid numa paróquia em Aparecida de Goiânia no dia 5 deste mês. A Sociedade Goiana de Infectologia e o Conselho Regional de Farmácia fizeram alertas contrários à campanha dos médicos.