Mercado fechado

Médico é acusado de machismo e xenofobia após declarações polêmicas no 'Domingão'

Foto: Reprodução/Globo

O doutor Marcos Antônio Cyrillo, infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia, causou polêmica no ‘Domingão do Faustão’ deste domingo (15) ao tirar dúvidas sobre o coronavírus.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

O profissional ridicularizou mulheres ao falar sobre a expectativa de vida. “Hoje a gente tá vendo que os homens vão viver 78 anos, e como vaso ruim não quebra, as mulheres vão viver até os 80”, disse ele, aos risos.

Leia também:

Como se não bastasse, o médico se referiu a China de forma pejorativa ao citar o local onde começou a epidemia do novo coronavírus “A culpa é da China, como sempre”, disse, revoltando a web.

Nas redes sociais, o público criticou a atitude do médico:

Sem plateia

Pela primeira vez nas três décadas da atração, Fausto Silva, 69, subiu ao palco sem uma plateia ao vivo para acompanhá-lo, devido à atual pandemia de coronavírus.

Ele começou o programa explicando a situação, dizendo que as medidas para esvaziar os auditórios dos programas da Globo são "por uma questão de precaução, é óbvio".

"Esse Domingão de 15 de março de 2020 é o primeiro de sua história, em quase 31 anos na Globo, de um programa de auditório, que terá o seu auditório vazio. O coronavírus é o responsável por isso", explicou o apresentador.

Ele também pediu para as pessoas serem responsáveis a fim de evitar a propagação da doença. "Você não pode ser egoísta e egocêntrico, porque, para quem tem mãe e pai, é aí que ta o problema", disse.