Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.514,80
    -2.695,03 (-5,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,99 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,29 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7636
    +0,0247 (+0,37%)
     

Medicamento contra diabetes reduz a obesidade, segundo estudo

·2 minuto de leitura
(Arquivo) O estudo, realizado em quase 2.000 adultos de 16 países, teve como foco os efeitos da semaglutida

Um estudo internacional publicado nesta quinta-feira (11) em um jornal britânico mostra que uma droga comumente usada para tratar diabetes, a semaglutida, pode ajudar pessoas obesas a perder até um quinto do peso sem a necessidade de cirurgia.

O estudo, realizado em quase 2.000 adultos de 16 países, teve como foco os efeitos da semaglutida, uma molécula semelhante à que o intestino libera na corrente sanguínea após as refeições e que, portanto, ajuda a reduzir a sensação de fome e aumentar a saciedade.

"Três quartos das pessoas que receberam 2,4 mg de semaglutida perderam mais de 10% do peso corporal e mais de um terço perderam mais de 20%", explicou Rachel Batterham, co-autora do estudo, em um comunicado.

"Nenhuma outra droga foi capaz de produzir esse nível de emagrecimento, é uma verdadeira mudança", considera a especialista, que dirige o Centro de Pesquisa sobre Obesidade da University College London (UCL).

"Pela primeira vez, as pessoas podem conseguir com medicamentos o que só era possível com a cirurgia para a perda de peso", acrescentou, elogiando "um grande avanço na melhoria da saúde das pessoas obesas".

Por mais de 15 meses, os participantes do estudo - publicado no New England Journal for Medicine - receberam injeções subcutâneas semanais de semaglutida ou um placebo.

Acompanhados de nutricionistas para estabelecer uma alimentação mais balanceada e exercícios físicos, os voluntários tratados com semaglutida perderam em média 15,3 kg, frente os 2,6 kg dos que receberam o placebo.

Questionado pela BBC, o nutricionista britânico Duane Mellor ressaltou que a droga "fornece uma alternativa útil", mas alertou que "a perda de peso sempre requer uma mudança no estilo de vida, e qualquer mudança ou medicação deste tipo pode trazer riscos e possíveis efeitos colaterais".

Apesar dos efeitos colaterais leves e temporários, que incluem náusea e diarreia, a semaglutida foi submetida à aprovação da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) as agências correspondentes nos Estados Unidos e no Reino Unido para o tratamento da obesidade.

cdu-acc/mb/bn/mvv