Mercado fechado

MediaTek nega que será usada como "laranja" da Huawei para compra de chips

Rubens Eishima

A MediaTek se viu no meio de uma polêmica ontem (1º), com boatos circulando de que a empresa seria usada como "laranja" pela Huawei para fabricar seus processadores com a taiwanesa TSMC. A MediaTek respondeu de maneira enérgica, negando o boato e ameaçando o site que divulgou a informação com um processo na justiça.

A Huawei foi recentemente impedida de produzir seus chips com a TSMC, após novas sanções econômicas do governo de Donald Trump. Sem alternativas para fabricar os chips mais avançados de sua subsidiária HiSilicon, a companhia seria forçada a comprar o componente de outras fabricantes.

Alternativas

Outras medidas adotadas pela Huawei incluem um estoque de componentes críticos, fabricados por empresas norte-americanas como Intel e Xilinx, e o aumento no volume de encomendas à MediaTek, de quem já era cliente antes das barreiras norte-americanas.

E aí foi cogitada uma possibilidade pelo site Nikkei Asian Review, a de que a Huawei usaria seus fornecedores para adquirir componentes com venda proibida pelos Estados Unidos. Os fornecedores agiriam como “laranjas” nesse caso, mas poderiam estar sujeitos à retaliações do governo norte-americano.

Outra empresa apontada como fornecedora de processadores à Huawei é a chinesa UniSOC, especializada em processadores de baixo custo. Neste segmento a Huawei possui outras alternativas, como produzir os chips em fábricas chinesas, como já faz com os processadores HiSilicon Kirin 710A, fabricados pela SMIC.

Fonte: Canaltech