McCarthy diz que houve algum progresso nas negociações do teto da dívida dos EUA com a Casa Branca

U.S. House Speaker McCarthy speaks with reporters at the U.S. Capitol in Washington

Por David Morgan e Richard Cowan e Andy Sullivan

WASHINGTON (Reuters) - Negociadores da Casa Branca e republicanos fizeram algum progresso nas negociações sobre o aumento do teto da dívida de 31,4 trilhões de dólares do governo dos Estados Unidos, disse o principal republicano do Congresso, Kevin McCarthy, a repórteres nesta quinta-feira.

O Departamento do Tesouro alertou que o governo pode ficar sem fundos para cobrir todas as suas despesas já em 1º de junho, o que, sem um acordo, pode desencadear um calote economicamente catastrófico.

O presidente democrata Joe Biden e o presidente da Câmara dos Deputados, McCarthy, estão em desacordo sobre gastos, impostos e exigências de trabalho para programas contra a pobreza. Mas ambos os lados dizem acreditar que podem encontrar pontos em comum após horas de discussões por suas equipes de negociação na quarta-feira, que caracterizaram como produtivas.

"Trabalhamos até bem depois da meia-noite na noite passada", disse McCarthy a repórteres. "Achei que fizemos algum progresso. Ainda há algumas questões pendentes e orientei nossas equipes a trabalhar 24 horas por dia, 7 dias por semana, para tentar resolver esse problema."

O deputado Kevin Hern, que lidera o poderoso Comitê de Estudos Republicanos, disse à Reuters que um acordo é provável na tarde de sexta-feira."

Mesmo com os republicanos anunciando progresso, McCarthy está se preparando para permitir que os parlamentares deixem Washington na quinta-feira para um recesso de uma semana, com a condição de que eles precisam estar prontos para voltar para a votação. O Senado está atualmente fora, mas sob ordens semelhantes para estar pronto para retornar.

O tempo está se esgotando. O Departamento do Tesouro diz que os Estados Unidos podem ficar sem dinheiro para pagar suas contas já em 1º de junho, daqui a sete dias, se o teto da dívida não for elevado. Um calote dos EUA poderia derrubar os mercados financeiros globais e levar os Estados Unidos à recessão.