Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.792,30
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.709,71
    +1.139,44 (+3,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

McDonald’s raciona batata frita após enchentes; entenda

·1 min de leitura

A rede McDonald’s no Japão está racionando o consumo de batatas fritas por parte dos consumidores. Ao longo de uma semana, a partir de sexta-feira, somente porções pequenas serão vendidas.

Batatas do McDonald's
Objetivo é evitar que os clientes fiquem sem o produto

(Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)

  • McDonald's no Japão raciona venda de batatas fritas

  • A partir de sexta-feira, somente porções pequenas estarão disponíveis 

  • Medida foi tomada após a escassez do produto devido às enchentes no Canadá e à pandemia

O intuito é evitar que o produto falte nos restaurantes e que os clientes continuem a comprá-lo, já que ficou escasso após a queda na importação do tubérculo devido às enchentes no Canadá e aos impactos da Covid-19.

Leia também:

"Devido às grandes inundações perto do porto de Vancouver (...) e dos problemas na cadeia de abastecimento provocados pela pandemia do coronavírus há atrasos no fornecimento de batatas", afirmou a empresa em um comunicado.

Covid-19 impacta setor automobilístico

A pandemia também prejudicou empresas como a Toyota, que anunciou cortes na produção devido à crise, e a Volkswagen, que eliminou turnos de produção e criou um programa de demissão voluntária.

O setor sofre, especialmente, com a falta de semicondutores, peças fundamentais para a produção de carros. O problema se reflete na queda do lançamento de modelos e aumento do preço de veículos usados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos