Mercado abrirá em 3 hs
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,69
    +0,94 (+1,57%)
     
  • OURO

    1.727,50
    -6,10 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    51.380,79
    +2.420,79 (+4,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.028,11
    +40,02 (+4,05%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.693,15
    +79,40 (+1,20%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.150,75
    +95,50 (+0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8704
    +0,0083 (+0,12%)
     

McDonald’s é acusado de 'racismo sistêmico' contra funcionários

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
McDonald's: acusada de racismo no Brasil. (Foto: Dave Rushen/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
McDonald's: acusada de racismo no Brasil. (Foto: Dave Rushen/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

A operadora brasileira da rede de restaurantes fast-food McDonad’s está sendo acusada por sindicatos de cometer crime de “racismo sistêmico” contra diversos funcionários em suas lojas. Esses sindicatos pedem ao Ministério Público do Trabalho a criação de uma “força tarefa” para apurar os casos. As informações são do UOL.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Os relatos apurados e reunidos no documento enviado ao MPT são de 16 funcionários, a maioria menor de idade, em quatro estados brasileiros. Os casos seriam de humilhação e discriminação racial em lojas da rede de fast-food, cometidos por superiores hierárquicos dos funcionários em questão.

Leia também

Segundo os sindicatos, as vítimas eram alvo de ataques discriminatórios verbais, chamadas de "negrinha do cabelo ruim", "cabelo duro", "macaca" e "pretinha suja”. Uma funcionária disse ainda que foi proibida de participar de um evento da empresa por causa da cor da pele dela.

Segundo o documento obtido pelo UOL, “tais práticas podem estar acontecendo em um universo considerável de lojas McDonald's no Brasil, sem que a empresa adote medidas concretas e efetivas para evitá-las”.

A Arcos Dourados, empresa responsável pelas franquias do McDonald’s no Brasil, afirmou não ter tido acesso ao documento, e por isso não iria se pronunciar. Mas ao UOL, enviou nota dizendo “reiterar total compromisso com a promoção de um ambiente de trabalho inclusivo e de respeito. Além disso, a companhia informa que não tolera nenhuma prática de assédio ou discriminação.”

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.