Mercado abrirá em 8 h 59 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,49
    +1,31 (+1,98%)
     
  • OURO

    1.779,30
    +2,80 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    57.293,78
    -133,84 (-0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.474,21
    +31,43 (+2,18%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.803,17
    +327,91 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    28.047,62
    +225,86 (+0,81%)
     
  • NASDAQ

    16.302,50
    +152,00 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3860
    +0,0160 (+0,25%)
     

Mayra Pinheiro afirma que médicos são 'perseguidos' por pessoas que 'nada entendem de medicina'

·1 min de leitura

BRASÍLIA — Às vésperas da apresentação do relatório final da CPI da Covid, do qual deve ser um dos alvos, a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, afirmou nesta segunda-feira que médicos estão sendo "perseguidos" por pessoas que "nada entendem de medicina".

Pinheiro, que é uma das principais defensoras dentro do governo de tratamentos ineficazes contra a Covid-19, fez a declaração durante evento do Ministério da Saúde em homenagem ao Dia do Médico, celebrado nesta segunda-feira. Ao lado dela, o ministro Marcelo Queiroga também defendeu a autonomia dos médicos.

— Não sabíamos que teríamos ao longo de uma pandemia o desafio de enfrentar pessoas que não conhecem a arte médica, nada entendem de medicina e passaram a questionar a nossa autonomia, o direito da nossa relação médico-paciente, o direito das nossas escolhas, o direito de salvar vidas. Fomos questionados, estamos sendo perseguidos, desafiados a não exercer essa autonomia para qual nós fomos formados — discursou Pinheiro.

A secretária está na lista oficial de investigados da CPI da Covid e deve ser citada no relatório final do senador Renan Calheiros (MDB-AL), programado para ser apresentado na próxima quarta-feira. Em agosto, a CPI chegou a aprovar um pedido para Pinheiro ser afastada do cargo.

Na mesma cerimônia, Queiroga afirmou que o vínculo entre médico e paciente "não pode ser quebrado por quem quer que seja, nem pelo Estado":

— É por isso que a relação médico-paciente tem que ser baseada na autonomia. Autonomia do médico e do paciente. O vínculo médico-paciente é um vínculo inquebrantável. Ele não pode ser quebrado por quem quer que seja, nem pelo Estado. É uma relação entre a consciência e a confiança, a consciência do médico e a confiança do paciente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos