Mercado fechará em 2 h 6 min
  • BOVESPA

    113.255,28
    -809,08 (-0,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.266,45
    -197,82 (-0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,01
    +0,71 (+0,97%)
     
  • OURO

    1.750,50
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    41.975,71
    -2.874,67 (-6,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.044,49
    -58,57 (-5,31%)
     
  • S&P500

    4.446,84
    -2,14 (-0,05%)
     
  • DOW JONES

    34.747,52
    -17,30 (-0,05%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.280,50
    -23,00 (-0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2542
    +0,0292 (+0,47%)
     

Matemática contraria probabilidades e conquista primeiro ouro para a Áustria no ciclismo desde 1896

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A austríaca Anna Kiesenhofer, 30, superou o favoritismo holandês e conquistou a medalha de ouro no ciclismo de estrada neste domingo (25), em Tóquio.

O triunfo de Kiesenhofer é o primeiro da Áustria no ciclismo olímpico desde 1896, quando Adolf Schmal venceu a corrida de 12 horas em Atenas.

Uma das favoritas, a holandesa Annemiek van Vleuten ficou com a prata, terminando a prova com um minuto e 15 segundos de diferença para a campeã. Vleuten protagonizou uma cena curiosa na disputa. Anna Kiesenhofer chegou com tanta antecedência que a holandesa, ao cruzar a linha de chegada, pensou que havia vencido e comemorou, mas foi avisada de que a austríaca já tinha finalizado a corrida.

A medalha de bronze do ficou com a italiana Elisa Longo Borghini.

Ex-triatleta, especialidade que teve de abandonar em 2014 por conta de lesão, a campeã olímpica Kiesenhofer é conhecida por suas qualidades intelectuais: a atleta tem um Máster em Matemática pela Universidade de Cambridge e já trabalhou na área.

Seu currículo no ciclismo era modesto até surpreender e ficar com o ouro nas Olimpíadas Tóquio: campeã austríaca em 2019, somava apenas uma vitória importante no circuito internacional, a Vuelta a la Ardeche, em 2016.

Neste domingo, Kiesenhofer contrariou qualquer probabilidade. A Holanda havia conquistado os últimos dois ouros olímpicos (Rio-2016 e Londres-2012) e os quatro últimos títulos mundiais.

A austríaca, porém, se distanciou do pelotão já nos primeiros quilômetros da prova. A cerca de 30 quilômetros para a linha de chegada, a atleta se encontrava com folga na liderança e confirmou a vitória com mais de um minuto para a segunda colocada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos