Mercado fechará em 1 h 35 min
  • BOVESPA

    119.426,74
    -137,70 (-0,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.890,10
    +490,30 (+1,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,75
    -0,88 (-1,34%)
     
  • OURO

    1.814,30
    +30,00 (+1,68%)
     
  • BTC-USD

    56.841,14
    -471,49 (-0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.476,64
    +5,23 (+0,36%)
     
  • S&P500

    4.177,40
    +9,81 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    34.379,70
    +149,36 (+0,44%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.504,25
    +13,25 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3800
    -0,0469 (-0,73%)
     

Matéria escura pode se esconder dentro de planetas

Karol Albuquerque
·2 minuto de leitura
Matéria escura pode se esconder dentro de planetas
Matéria escura pode se esconder dentro de planetas

Onde encontrar matéria escura no espaço? Nos cálculos de uma dupla de físicos, a estranha e hipotética partícula trai sua localização com o calor. Rebecca Leane e Juri Smirnov acreditam que planetas gasosos gigantes podem prender a matéria escura, ao sugarem as partículas misteriosas.

Os pesquisadores acreditam que a força gravitacional dos planetas atraem e capturam as partículas de matéria escura. Dentro dos gigantes gasosos, essas partículas colidem e se destroem, liberando flashes explosivos de calor. A pesquisa de Leane e Smirnov foi publicada no jornal científico Physical Review Letters.

Leia mais:

Esse seria o motivo pelo qual planetas do centro da galáxia são extremamente quentes, diz o estudo teórico da dupla. O miolo da Via Láctea é justamente onde acreditasse que há uma enorme quantidade de matéria escura.

De acordo com a física de astropartículas do MIT e do Centro de Aceleração Linear de Stanford (SLAC National Accelerator Laboratory) Rebecca Leane, em entrevista ao Wired, só o fato de o planeta gasoso passar pelo halo de matéria escura da galáxia faz com que ele sugue um pouco de partículas.

O James Webb Space Telescope será lançado no segundo semestre de 2021. Imagem: Ball Aerospace/NASA
O James Webb Space Telescope será lançado no segundo semestre de 2021. Imagem: Ball Aerospace/NASA

Quando dentro deles, os pedaços batem e desaceleram sempre que atingem um próton. “Ele simplesmente entra, literalmente bate e depois ricocheteia para fora. Mas ricocheteia com bem menos energia”, acrescentou Leane.

Por enquanto, Leane e Smirnov não têm como testar a ideia, mas eles podem sondar o calor desses planetas centrais, com o uso de telescópios como o James Webb Space Telescope, que será lançado no segundo semestre pela Nasa.

O trabalho já recebeu elogios, apesar de ainda não ter sido testado. “É um jeito surpreendente e inventivo de detectar matéria escura”, disse o físico Joseph Bramante, da Queens University. Para ele, encontrar esses planetas extremamente quentes é uma “assinatura” convincente da existência da matéria escura. Ele não integrou o estudo da dupla, mas também pesquisa sobre matéria escura nos planetas.

Via: Futurism