Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.593,25
    +122,90 (+0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Mastercard tem lucro maior no 3º tri ajudado por gastos com cartões

BENGALURU, Índia (Reuters) - A Mastercard teve lucro maior no terceiro trimestre, encerrando um forte período de três meses para as empresas de cartões dos Estados Unidos, que reportaram gastos resilientes dos consumidores apesar das crescentes preocupações sobre recessão no país e em outras economias do mundo.

O lucro foi de 2,5 bilhões de dólares, ou 2,58 dólares por ação, nos três meses encerrados em 30 de setembro, em comparação com 2,4 bilhões, ou 2,44 dólares por ação, um ano antes.

As empresas de cartões tendem a ganhar mais dinheiro em períodos inflacionários, pois normalmente cobram uma percentagem do valor em dólares das transações. Mas a inflação acompanhada de aumentos nas taxas de juros podem reduzir o consumo.

No entanto, esses temores ainda não se refletiram materialmente nos lucros das empresas do setor. Os consumidores continuam gastando com viagens à medida que as fronteiras reabrem e um dólar mais forte incentiva o turismo.

Em termos ajustados, a Mastercard teve lucro de 2,68 dólares por ação. Analistas esperavam, em média, 2,56 dólares por papel, segundo dados da Refinitiv.

A receita reportada saltou 15%, para 5,8 bilhões de dólares.

(Por Niket Nishant)