Mercado abrirá em 4 h 43 min
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,73
    +0,46 (+0,69%)
     
  • OURO

    1.870,20
    +2,60 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    45.254,66
    +397,36 (+0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.259,01
    +61,09 (+5,10%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.068,00
    +35,15 (+0,50%)
     
  • HANG SENG

    28.572,97
    +378,88 (+1,34%)
     
  • NIKKEI

    28.406,84
    +582,01 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    13.406,00
    +102,50 (+0,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4277
    +0,0178 (+0,28%)
     

Massa corporal pode aumentar o risco de contrair Covid-19?

Gabriela Bulhões
·3 minuto de leitura
Massa corporal pode aumentar o risco de contrair Covid-19?
Massa corporal pode aumentar o risco de contrair Covid-19?

Estar acima ou abaixo do peso pode ser um fator para aumentar o risco de contrair coronavírus? O primeiro estudo que focou nesta questão do efeito do peso corporal foi publicado no jornal The Lancet Diabetes & Endocrinology. A pesquisa foi baseada em mais de 6,9 ​​milhões de pessoas que moram na Inglaterra e contou com dados de mais de 20.000 pacientes de Covid-19 que foram hospitalizados ou morreram durante a primeira fase da pandemia.

Os estudiosos relataram que o risco de piores resultados da doença começa a crescer em pessoas com um IMC acima de 23kg/m2 , ainda considerável como saudável. Com isso, o risco de internação foi 5% maior em relação a cada aumento de uma unidade no IMC. Por outro lado, o risco de internação na UTI foi 10% maior. As pessoas que estavam abaixo do peso, ou seja, com IMC menor que 18,5, também tiveram resultados piores.

O excesso de peso no risco de contrair covid foi maior em jovens de 20 a 39 anos de idade e menor após os 60 anos, com o IMC tendo pouco impacto. O principal nome do estudo, Dra. Carmen Piernas do Departamento de Ciências da Saúde de Atenção Primária da Universidade de Oxford, Reino Unido, disse: “Nosso estudo mostra que mesmo um excesso de peso muito modesto está associado a maiores riscos de complicações graves de covid e os riscos aumentam drasticamente à medida que o IMC aumenta. Também mostramos que os riscos associados ao excesso de peso são maiores em pessoas com menos de 40 anos, enquanto o peso tem pouco ou nenhum efeito nas chances de desenvolver Covid-19 grave após os 80 anos. que as políticas de vacinação devem priorizar as pessoas com obesidade, especialmente agora que a vacina está sendo lançada para grupos de idades mais jovens. “

Leia mais:

O risco de resultados graves de covid ascendeu acima de um IMC de 23kg/m2 e de maneira independente de outras condições de saúde, como diabetes tipo 2. Já os riscos associados a um maior IMC foram maiores para negros em comparação com brancos e não houve evidência de que os riscos para outros grupos étnicos fossem diferentes da população branca.

O professor Paul Aveyard, do Departamento de Ciências da Saúde de Atenção Primária da Universidade de Oxford, no Reino Unido, falou: “Ainda não sabemos se a perda de peso reduz especificamente o risco de desfechos covid graves, mas é altamente plausível e certamente trará outros benefícios para a saúde. Perder peso é difícil e o recente investimento do NHS para melhorar o acesso a programas de controle de peso pode ajudar a reduzir a gravidade de Covid-19 em nível populacional e reduzir a pressão sobre os sistemas de saúde , ao mesmo tempo que reduz os riscos de diabetes tipo 2 e alguns tipos de câncer. “

Inclusive, os autores observaram algumas limitações em seu estudo. Isso porque a análise do impacto do IMC pode ser restringida pela amostra menor de pessoas com medidas recentes. Portanto, os resultados não mudaram quando eles excluíram os dados de IMC com mais de um ano no início do período de estudo.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!