Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.753,90
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    47.446,43
    -482,29 (-1,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,61%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,96 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -43,25 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1975
    +0,0127 (+0,21%)
     

Martine e Kahena repetem Adhemar Ferreira da Silva; relembre medalhas do Brasil na vela

·3 minuto de leitura
*ARQUIVO* Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 25/06/2021; Retrato das velejadoras Kahena Kunze  e  Martine Grael, a dupla é favorita a medalha em Tóquio.  ( Foto: Ricardo Borges/Folhapress)
*ARQUIVO* Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 25/06/2021; Retrato das velejadoras Kahena Kunze e Martine Grael, a dupla é favorita a medalha em Tóquio. ( Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram o bicampeonato olímpico na madrugada desta terça (3), nas Olimpíadas de Tóquio, e repetiram feito raro no esporte brasileiro.

Antes da dupla, e com exceção das modalidades coletivas, apenas Adhemar Ferreira da Silva havia levado duas medalhas de ouro em edições consecutivas dos Jogos. A façanha do atleta no salto triplo foi alcançada em Helsinque-1952 e Melbourne-1956.

Nem mesmo Robert Scheidt e Torben Grael, cada um com cinco medalhas olímpicas na vela e duas delas de ouro, conseguiram subir ao principal lugar do pódio em sequência.

Nas Olimpíadas de Tóquio, Martine e Kahena, ambas com 30 anos, repetiram o resultado dos Jogos do Rio-2016 e levaram a medalha dourada na categoria 49er FX.

A façanha na ilha de Enoshima, no Japão, resultou na 19ª medalha olímpica do Brasil na vela, um dos esportes mais vitoriosos do país no evento esportivo.

O primeiro pódio brasileiro na modalidade aconteceu nas Olimpíadas de 1968, no México, com o bronze da dupla Burkhard Cordes e Reinaldo Conrad. A conquista foi na classe flying dutchman, que já não faz mais parte do programa olímpico.

O pódio pioneiro abriu caminho para gerações vitoriosas de velejadores. No total, sete atletas brasileiros se tornaram campeões olímpicos.

Além de Martine e Kahena, Torben Grael (que é pai de Martine), Marcelo Ferreira e Robert Scheidt levaram a medalha de ouro mais de uma vez, mas não em edições consecutivas.

No número total de medalhas, Torben e Scheidt (dois ouros, duas pratas e um bronze) estão na frente com cinco medalhas cada. Eles são os dois maiores medalhistas olímpicos do Brasil de todos os tempos.

Duas das conquistas mais marcantes aconteceram em 1980, nas Olimpíadas de Moscou. Nas águas russas, Lars Sigurd Bjorkström e Alexandre Welter levaram o ouro na classe tornado, e Marcos Soares e Eduardo Penido foram os campeões na 470.

Foram as primeiras medalhas de ouro do país desde 1956, quando Adhemar Ferreira da Silva subiu ao lugar mais alto do pódio nas Olimpíadas de Melbourne, na Austrália.

Outro marco aconteceu em 2008, nas Olimpíadas de Pequim. Fernanda Oliveira e Isabel Swan foram bronze na classe 470 e levaram a primeira medalha feminina da história do Brasil na vela.

Desde 1968, quando o Brasil conquistou sua primeira medalha na vela, o país teve um representante no pódio em praticamente todas as edições dos Jogos. As exceções são a Olimpíadas de Munique, em 1972, e a de Barcelona, em 1992.

*

Confira as medalhas da vela brasileira em Jogos Olímpicos:

Tóquio-2020

Ouro: Martine Grael e Kahena Kunze (49er FX)

Rio-2016

Ouro: Martine Grael e Kahena Kunze (49er FX)

Londres-2012

Bronze: Robert Scheidt e Bruno Prada (Star)

Pequim-2008

Prata: Robert Scheidt e Bruno Prada (Star)

Bronze: Fernanda Oliveira e Isabel Swan (470)

Atenas-2004

Ouro: Marcelo Ferreira e Torben Grael (Star)

Ouro: Robert Scheidt (Laser)

Sydney-2000

Prata: Robert Scheidt (Laser)

Bronze: Marcelo Ferreira e Torben Grael (Star)

Atlanta-1996

Ouro: Robert Scheidt (Laser)

Ouro: Marcelo Ferreira e Torben Grael (Star)

Bronze: Lars Grael e Kiko Pelicano (Tornado)

Seul-1988

Bronze: Lars Grael e Clinio Freitas (Tornado)

Bronze: Torben Grael e Nelson Falcão (Star)

Los Angeles-1984

Prata: Torben Grael, Daniel Adler e Ronaldo Senfft (Soling)

Moscou-1980

Ouro: Eduardo Penido e Marcos Soares (470 masculina)

Ouro: Alexandre Welter e Lars Björkström (Tornado)

Montreal-1976

Bronze: Peter Ficker e Reinaldo Conrad (Flying Dutchman)

Cidade do México-1968

Bronze: Burkhard Cordes e Reinaldo Conrad (Flying Dutchman)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos