Mercado abrirá em 9 h 37 min
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,43
    +0,21 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.811,90
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    16.906,99
    -227,10 (-1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,44
    -5,71 (-1,41%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.807,77
    +71,33 (+0,38%)
     
  • NIKKEI

    27.668,36
    -557,72 (-1,98%)
     
  • NASDAQ

    12.007,50
    -55,25 (-0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4594
    -0,0060 (-0,11%)
     

Marte: duas maneiras prováveis para a existência de vida no planeta

Marte: Confira as duas maneiras mais prováveis para a existência de vida no planeta
Marte: Confira as duas maneiras mais prováveis para a existência de vida no planeta
  • Marte: a vida pode estar escondida sob a superfície;

  • A vida pode existir de formas que não conhecemos;

  • Existem bactérias que podem sobreviver em ambientes hostis.

A possibilidade de vida alienígena em Marte é um tópico que cativou os astrônomos por décadas. Apesar dos melhores esforços da comunidade científica, nenhuma prova de vida passada ou presente foi encontrada em Marte.

Mesmo com a falta de confirmação científica, não significa necessariamente que a vida não esteja lá. Pode haver várias maneiras pelas quais a evidência de vida alienígena em Marte pode estar nos escapando. Confira abaixo as duas maiores possibilidades:

A vida pode estar escondida sob a superfície

Um estudo recente indicou que precisamos olhar mais fundo sob a superfície de Marte para encontrar vestígios de vida.

Isso porque qualquer evidência de aminoácidos remanescentes de uma época em que Marte pode ter sido habitável provavelmente está enterrada a pelo menos 6,6 pés abaixo do solo. Os cientistas procuram aminoácidos devido ao seu papel na formação da vida como a conhecemos, segundo o Scripps Research Institute.

Os aminoácidos, que podem ser criados pela vida e pela química não biológica, são um componente chave na construção de proteínas essenciais à vida.E como Marte não possui um campo magnético, sua superfície está sujeita a muita radiação cósmica que destrói aminoácidos.

“Nossos resultados sugerem que os aminoácidos são destruídos por raios cósmicos nas rochas e regolitos da superfície marciana em taxas muito mais rápidas do que se pensava anteriormente”, disse Alexander Pavlov do Goddard Space Flight Center da NASA.

“As missões atuais do rover em Marte se aprofundam em cerca de duas polegadas (cerca de cinco centímetros). Nessas profundezas, levaria apenas 20 milhões de anos para destruir completamente os aminoácidos.”

À luz desta nova pesquisa, uma nova estratégia é necessária ao perfurar superfícies rasas com rovers como Perservenace ou Curiosity.

A vida pode existir de maneiras que ainda não reconhecemos

Em abril, a cientista da NASA Dr. Moogega Cooper debateu no Talks no Google sobre a vida em Marte. Quando perguntada se ela achava que o planeta já teve ou já tem vida, a resposta de Cooper foi positiva.

Ela disse: “A água existia em Marte? Sim. Marte tem alguma química interessante que poderia ter abrigado ou sustentado vida? Sim."

Imagens da NASA capturam 'porta' e inspiram teorias da vida em Marte

Por essas razões, Cooper sugere que não podemos descartar que a vida existiu no Planeta Vermelho. A Nasa também não descartou completamente a existência de vida em Marte ou em outros planetas. Pode ser apenas a vida que ainda não entendemos.

Cooper observa que os micróbios na Terra podem existir em ambientes extremamente hostis e o mesmo pode ser dito para Marte. Se encontrarmos vida, o próximo trabalho de Cooper seria garantir que a Terra esteja segura quando uma amostra chegar aqui.