Marisa propõe capitalizar braço financeiro com aporte de R$90 mi por controladores

SÃO PAULO (Reuters) -A Marisa Lojas anunciou uma restruturação do seu braço financeiro, a partir de medidas que incluem uma capitalização de 90 milhões de reais por acionistas controladores, segundo fato relevante nesta sexta-feira.

A mudança foi apresentada ao Banco Central na última segunda-feira, disse a Marisa. Além disso, a companhia divulgou revisões contábeis e publicou o resultado não auditado de 2022.

Pelos termos da proposta, a Marisa receberia um aporte de 90 milhões de reais em abril pelos acionistas controladores, visando um aumento de capital na MPagamentos, subsidiária da varejista que atua nos segmentos de crédito e financiamento.

A medida seria para "viabilizar o reenquadramento da MPagamentos nos índices regulatórios e prudenciais", de acordo com a Marisa. A empresa ainda afirmou que, caso necessário, promoverá um aporte adicional de 26 milhões de reais na subsidiária.

Sob a proposta de restruturação para o negócio financeiro, a MPagamentos passa a concentrar também a atividade de cartões, atualmente com a subsidiária MCartões, que viraria apenas uma adquirente, afirmou a Marisa. A incorporação de parte da operação da MCartões também deve reforçar a estrutura de capital da MPagamentos, segundo a varejista.

Além disso, a Marisa pretende remodelar o compartilhamento de custos e de receitas com a MPagamentos, "de modo a prever uma estrutura equitativa considerando os respectivos custos e despesas dos braços financeiro e varejista".

A Marisa trocou de presidente no início do ano, com a chegada de João Pinheiro Nogueira Batista em fevereiro, em meio a uma reformulação mais ampla do alto escalão da varejista de moda, que vem buscando modos de controlar sua dívida. Na semana passada, a companhia anunciou acordo para venda de direitos creditórios fiscais por 100 milhões de reais a fundo da gestora Quadra.

As incertezas pesaram nas ações da Marisa na bolsa, que caem 48,8% no ano, contra queda de 7,2% do Ibovespa, índice do qual a companhia não faz parte.

A varejista também divulgou nesta sexta-feira revisões contábeis após trabalho com auditoria e comissão externa. As ações incluem baixa de 50 milhões de reais em receita registrada de forma equivocada, reclassificação de 48 milhões de reais de despesas operacionais (opex) para investimentos (capex) e revisão de provisão para contingências no valor aproximado de 34 milhões de reais.

A Marisa ainda deixou de publicar os resultados de 2022 auditados, esperados para esta sexta-feira, divulgando apenas números não auditados. O parecer da auditoria sobre o balanço deve ser divulgado até o final de abril, de acordo com a companhia.

Os números não auditados mostram prejuízo líquido de 188,6 milhões de reais no quarto trimestre de 2022, após prejuízo de 24,5 milhões um ano antes. No ano, o prejuízo foi de 391 milhões de reais, após perda de 93 milhões em 2021.

(Por André Romani)