Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.057,22
    -1.202,27 (-0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.202,80
    -376,30 (-0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,91
    -1,24 (-1,72%)
     
  • OURO

    1.771,60
    -89,80 (-4,82%)
     
  • BTC-USD

    37.750,38
    -881,87 (-2,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    937,90
    -31,98 (-3,30%)
     
  • S&P500

    4.221,86
    -1,84 (-0,04%)
     
  • DOW JONES

    33.823,45
    -210,22 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.153,43
    -31,52 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.558,59
    +121,75 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.018,33
    -272,68 (-0,93%)
     
  • NASDAQ

    14.189,25
    +208,00 (+1,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9682
    -0,0938 (-1,55%)
     

Marinha dos EUA trabalha em drone para matar pássaros selvagens em ninhos

·2 minuto de leitura
Marinha dos EUA trabalha em drone para matar pássaros selvagens em ninhos
Marinha dos EUA trabalha em drone para matar pássaros selvagens em ninhos

A Marinha dos Estados Unidos e uma empresa de artigos militares chamada Hitron Technologies estão desenvolvendo um drone projetado exclusivamente para matar pássaros selvagens ainda em seus ninhos. Essas aves são alguns dos maiores inimigos da corporação, já que, ao voarem próximos a de campos de aviação, podem ser um risco para os militares.

Existe, inclusive, um histórico vasto de colisão entre aviões e pássaros, que já causaram danos sérios às aeronaves, pousos forçados e até mesmo acidentes, de acordo com a New Scientist. Esse novo drone está em processo de desenvolvimento e passando por testes de laboratório antes de ser aprovado para testes em campo pelas autoridades competentes.

Segundo o portal Futurism, os drones serão programados para caçar ninhos de pássaros em um determinado raio de distância dos campos de treinamento da Marinha. Após encontrar os alvos, os drones vão borrifar uma espécie de óleo nos ovos que torna a casca mais grossa e os impede de eclodir.

Ao revestir os ovos com óleos essenciais, os filhotes são mortos por privação de oxigênio, ou seja, os ovos não são destruídos fisicamente. Com isso, os pais dos pássaros acreditam que aqueles ovos irão eclodir, o que os impede de botar mais ovos até o fim do período de reprodução.

Leia mais!

Apesar de parecer controversa, essa técnica, conhecida como “oiling”, não é considerada cruel pela Sociedade Humana dos Estados Unidos, uma entidade sem fins lucrativos que é focada no bem-estar animal. Por isso, é uma forma pouco condenada de conter populações de pássaros perto de plantações, por exemplo.

O que pode dar errado?

Contudo, especialistas em oiling questionam se drones autônomos são capazes de aplicar a técnica com sucesso, já que os ovos precisam ser totalmente lubrificados para que ela seja funcional, incluindo a parte inferior deles.

Drone pode não fazer o processo do “oiling” corretamente. Crédito: Pixabay
Drone pode não fazer o processo do “oiling” corretamente. Crédito: Pixabay

“A lubrificação do ovo pode causar problemas de bem-estar para as aves adultas e, além disso, a lubrificação precisa ser feita com cuidado”, disse o chefe de ecologia da Sociedade Real para a Proteção de Aves do Reino Unido, Graham White, à New Scientist. Ele acrescenta ainda que a aproximação dos ninhos pode causar uma “guerra” entre pássaros e máquinas.

“Gaivotas adultas provavelmente atacariam o drone, arriscando a si mesmas e ao drone”, disse White.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos